Últimas Notícias > CAD1 > Jogando fora de casa, o Inter enfrenta nesta quarta-feira o Bahia com o desafio de manter no segundo turno do Brasileirão a boa campanha colorada

O Oscar está em busca da audiência perdida: A Academia de Hollywood vai restringir a festa a três horas de duração

Hollywood tenta reconquistar a audiência perdida na transmissão da cerimônia de premiação do Oscar. (Foto: Reprodução)

No mesmo dia em que John Bailey foi reeleito para o seu segundo mandato à frente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, o presidente e a diretora-executiva Dawn Hudson anunciaram mudanças na estrutura da premiação com o objetivo de dar um impulso à transmissão da cerimônia e aumentar os índices de audiência. Entre as novas medidas que serão adotadas, estão a criação de uma nova categoria de prêmio para filmes populares e a limitação da festa a três horas. As informações são do jornal O Globo.

Em uma carta aos membros, o Conselho da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas também disse que apresentará alguns dos 24 prêmios durante os intervalos comerciais da transmissão de TV. As mudanças, que entrarão em vigor na cerimônia de fevereiro de 2019, assinalam uma grande reformulação na premiação mais prestigiada da indústria do cinema e vem na esteira de anos de perda de audiência na transmissão do Oscar.

A audiência americana do Oscar de 2018 foi de apenas 26,5 milhões de telespectadores, a menor da história da premiação de 90 anos.

“Ouvimos de muitos de vocês que é preciso fazer melhorias para manter a relevância do Oscar e da Academia em um mundo em transformação. O Conselho levou isto a sério”, diz a entidade em uma carta assinada por Bailey e Dawn, que foi disponibilizada à imprensa.

O Oscar tende a homenagear filmes mais artísticos com seus principais prêmios, ao invés de sucessos de bilheteria como a franquia “Star Wars” ou filmes de super-heróis.

A carta não deu detalhes sobre a nova categoria voltada a filmes populares, dizendo que eles virão mais tarde. Mas por trás da notícia está a necessidade que a Academia sente de incluir entre seus prêmios esses outros filmes que, há anos, ficam de fora. A necessidade, por exemplo, de que em 2019 Pantera Negra esteja entre os filmes indicados.

Trata-se de uma decisão que gerou polêmica dentro do setor, mas já era esperada. A Academia deseja frear o rápido declínio dos prêmios mais populares do cinema. Ou, pelo menos, o declínio da sua transmissão televisiva. Embora o Oscar continue sendo considerado um indicador de qualidade dos méritos de um filme, o público há tempos deixou de se interessar por uma cerimônia que não reflete seus gostos.

Os anos em que o Oscar era dado aos grandes blockbusters, como Titanic (11 estatuetas em 1998), Gladiador (5 em 2001) e O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (11 em 2004) ficaram para trás. Nas últimas edições, o Oscar de melhor filme foi para títulos como Moonlight, Spotlight e A Forma da Água, cujos méritos ninguém discute, mas que foram ignoradas pelo grande público. Enquanto isso, filmes campeões de bilheteria, como Guardiões da Galáxia e Star Wars: O Despertar da Força, passaram em branco pelo Oscar.

A cerimônia do Oscar costuma durar quase quatro horas, homenageando vencedores de categorias como edição de som e figurinos juntamente com atores, roteiristas e diretor.

“Estamos determinados a produzir um espetáculo de entretenimento em três horas, em apresentar um Oscar mais acessível aos espectadores de todo o mundo”, diz o conselho.

Deixe seu comentário: