Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Líder de facção criminosa é preso em Cachoeirinha

O piloto do Boeing que caiu na Indonésia olhou o manual para tentar evitar a queda

Avião Boeing 737 Max 8 está sob suspeita após quedas. (Foto: Reprodução)

Enquanto o Boeing 737 MAX 8 da Lion Air caía em direção ao Mar de Java, na Indonésia, em outubro do ano passado, o piloto que comandava a aeronave buscava desesperadamente em um manual técnico uma possível solução para estabilizar o avião. O momento ficou registrado na gravação de áudio da cabine, que estava na caixa preta recuperada após o acidente que deixou 189 mortos, revelou ao “The New York Times” o diretor da agência da Indonésia que apura o caso.

Perto do fim da gravação, segundo a fonte ouvida pelo jornal, também é possível ouvir o copiloto rezando e pedindo a Deus por um milagre para evitar que o avião caísse no Mar de Java.

Pouco antes, o piloto já tinha entregado o comando da aeronave para encontrar nas páginas de um manual o que estava ocorrendo com o Boeing 737 MAX 8 que acabara de decolar do aeroporto de Jacarta.

As autoridades da Indonésia publicaram em novembro um relatório preliminar sobre o acidente com o voo 610 da Lion Air, mas não constava no documento o conteúdo do áudio da cabine porque o dispositivo com a gravação ainda não tinha sido localizado.

Os investigadores devem publicar o relatório final até agosto, mas as leis do país proíbem a divulgação do áudio ou da transcrição.

O foco sobre as investigações do acidente do último dia 29 de outubro cresceram depois da queda de um Boeing 737 MAX 8 da Ethiopian Airlines, o que levou vários países a proibirem a utilização desse modelo de avião.

Segundo o relatório preliminar sobre o acidente da Lion Air, o nariz do avião se inclinou para baixo mais de 20 vezes antes da queda, um movimento que os especialistas acreditam ter sido causado por um erro no sistema de piloto automático do avião.

Dois pilotos teriam mostrado preocupação com uma “inclinação aguda” do nariz do avião quando ligaram o sistema automático de voo, informações reveladas apenas depois do acidente na Etiópia.

O jornal “Seattle Times” informou hoje que o FBI está ajudando os órgãos de aviação civil do país nas investigações sobre o caso.

A Boeing anunciou que deve fazer uma atualização de software para responder aos problemas descobertos nessas investigações.

A fabricante americana vive uma grande crise depois de muitos países terem vetado o uso dos 737 MAX 8 como resposta aos acidentes.

EUA 

O Departamento de Transportes dos Estados Unidos vai investigar o processo que aprovou o Boeing 737 MAX 8 para voos no país. Esse procedimento foi dirigido pela Autoridade Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) – órgão também subordinado ao governo norte-americano.

O pedido de investigação foi feito na terça-feira (19), nove dias depois de um Boeing 737 MAX 8 da companhia Ethiopian Airlines cair na Etiópia, matando 157 pessoas. O acidente ocorreu apenas cinco meses depois da queda de outro avião do mesmo modelo na Indonésia, quando 189 morreram.

Por causa da repercussão de dois acidentes parecidos em pouco tempo, companhias aéreas e autoridades de aviação em mais de 50 países suspenderam operações com aeronaves do modelo. Em seguida, a própria Boeing solicitou que aviões 737 MAX 8 e 737 MAX 9 não levantassem voo.

Deixe seu comentário: