Últimas Notícias > Colunistas > Armando Burd > Pronunciamento sem estrelismo

O preço médio da gasolina nos postos do Brasil recuou 0,76% nesta semana

Preço médio do diesel nos postos caiu 0,2% na semana. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O preço médio da gasolina nos postos do Brasil recuou 0,76% nesta semana, para R$ 4,297 por litro, de acordo com o levantamento semanal divulgado nesta sexta-feira (11) pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

Na quarta-feira (9), o valor médio cobrado pela Petrobras pelo combustível nas refinarias caiu ao menor nível em 14 meses, em meio a uma redução na cotação do dólar ante o real, um dos parâmetros utilizados pela companhia em sua sistemática de reajustes.

O preço da gasolina da petroleira estatal, que responde por quase 100% do refino no Brasil, vinha caindo desde meados de dezembro diante da depreciação da moeda norte-americana.

Mas outro componente de peso seguido pela estatal em seu mecanismo de reajustes, a cotação do petróleo no mercado internacional, fechou com ganhos nesta semana, o que contribuiu com uma alta do preço da gasolina da Petrobras nesta sexta.

O repasse dos reajustes dos combustíveis ao consumidor final nos postos depende de diversas variáveis, como margem das distribuidoras e revendedores, impostos e mistura obrigatória de biocombustíveis.

O preço médio do diesel, combustível mais consumido do Brasil, caiu 0,2% nos postos nesta semana, para R$ 3,434 por litro, segundo os dados da ANP.

Já o etanol hidratado, concorrente da gasolina nas bombas, ficou estável, em R$ 2,83 por litro.

IPCA

Em 2018, o preço da gasolina subiu 7,24%, quase o dobro da inflação oficial medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que foi de 3,75%.

O combustível foi um dos componentes que mais pesaram na alta dos preços no ano passado. Em 12 meses, a gasolina teve um impacto de 0,31 ponto percentual no IPCA.

Refinarias

A Petrobras elevou o preço médio da gasolina em suas refinarias em 2% nesta sexta para R$ 1,4624 por litro, informou a companhia em seu site na noite de quinta-feira (10) , em meio a altas consecutivas do preço do barril do petróleo no mercado internacional.

A alta ocorre após a empresa ter comercializado o combustível no menor nível em cerca de 14 meses entre os dias 9 e 10 de janeiro, segundo dados da petroleira compilados pela Reuters.

O preço da gasolina vinha caindo desde meados de dezembro diante da depreciação da moeda norte-americana.

Mas o outro componente de peso seguido pela estatal em seu mecanismo de reajustes é o mercado internacional de petróleo, que vem apresentando altas consecutivas.

 

 

Deixe seu comentário: