Últimas Notícias > CAD1 > Jogando fora de casa, o Inter enfrenta nesta quarta-feira o Bahia com o desafio de manter no segundo turno do Brasileirão a boa campanha colorada

O presidenciável Ciro Gomes alugou um jatinho e disse que pretende percorrer até três Estados por dia

Ciro Gomes tem feito menos ataques e se descrito como uma "seda" e um "doce de coco". (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A campanha do candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, resolveu alugar um jatinho para dar conta da estratégia de percorrer três Estados por dia. A partir de segunda-feira, ele começará a agenda de viagens, que terá como foco os grandes colégios eleitorais.

“Acabamos de decidir alugar o jato, não vai ficar à disposição, porque não temos dinheiro pra isso. Será um contato por quilometragem rodada. Mas é o jeito que teremos para cumprir agendas em três Estados por dia”, contou Lupi

Segundo Lupi, Ciro terá palanque nos 26 Estados e no DF. Desses, 17 palanques serão ao lado de candidatos a governador. Além dos nove candidatos do PDT ao governo (RJ, RS, AP, RN, AM, RO, MS, PB e SP), acertos locais darão palanques para ele no CE, MA, ES, DF, SE, MT, GO e PA. E nos demais, conta Lupi, ou acordos com candidatos a vice-governadores ou candidatos ao Senado abrirão espaço para Ciro fazer campanha.

Por outro lado, Ciro planeja driblar o pouco tempo de propaganda eleitoral a que terá direito participando de numerosos eventos midiáticos, como debates e entrevistas. Até o momento, ele terá em mais da metade dos dias de campanha agendas dedicadas a essas participações. O pedetista já se comprometeu com 22 agendas desse tipo. Como ele fechou aliança formal apenas com o Avante, contará com somente cerca de 40 segundos de TV na propaganda eleitoral gratuita, que terá início no próximo dia 31.

Educação

O candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, afirmou que a educação será prioridade em sua gestão caso vença as eleições. E citou como exemplo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o pedetista, apesar das desigualdades do Brasil, o fato do petista, retirante e semianalfabeto em sua origem, ter chegado a presidir o País mostraria que se trata de um “País de oportunidades”.

“O que está faltando, miseravelmente, é a política”, afirmou Ciro. “O que resolve é a política e a política não aceita o vácuo, o vazio.”

O presidenciável participou do lançamento da candidatura de Tábata Amaral, de 24 anos, para deputada federal. O evento aconteceu na Vila Missionária, comunidade pobre da Zona Sul de São Paulo. Tábata faz parte do Movimento Acredito e é co-fundadora do Mapa Educação.

Em discurso, o candidato do PDT se referiu ao presidente Michel Temer como “golpista” ao falar sobre a importância do voto.

“Se os políticos são todos pilantras, se são todos ladrões e, menos o Temer, o Temer é golpista, estão aí eleitos pelo povo, então o problema é conosco. O voto é muito importante”, disse o ex-ministro.

Ciro também disse ter gostado do primeiro debate entre os presidenciáveis, mas que fizeram “bullying” com ele nas perguntas.

“Eu adorei (o debate). Fizeram bullying comigo nas perguntas, mas deu para falar sobre as propostas. Isso ocorreu porque tenho experiência (de gestão) e ficha limpa”, argumentou o ex-governador do Ceará

Durante o evento, o pedetista citou a “história do elefante”, em que o animal obedece o domador no circo, preso por apenas um barbante amarrado no pé. Em seu discurso, Ciro disse que teria contado essa anedota à ex-presidente Dilma Rousseff na antevéspera do impeachment.

“Eu perguntei: você conhece a história do elefante? Ela disse que não. E eu disse que ele fica preso porque não conhece a força que tem”, concluiu.

Deixe seu comentário: