Últimas Notícias > Colunistas > Preço da liberdade

O presidente da Petrobras se encontrou com os chefes dos poderes Legislativo e Judiciário em Brasília

O novo presidente da Petrobras classificou a consulta pública administrada pela ANP como "muito importante". (Foto: Alan Santos/PR)

O presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, se encontrou nesta terça-feira (12) com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e, mais tarde,vai se encontrar com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), membros do TCU (Tribunal de Contas da União), do TST (Tribunal Superior do Trabalho) e do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

De acordo com a assessoria da Petrobras, Monteiro foi até Brasília para se apresentar aos representantes dos principais órgãos federais. Ivan Monteiro assumiu o comando da estatal no dia 1º de junho, após o seu antecessor, Pedro Parente, renunciar ao cargo.

Após o encontro no Senado, ele afirmou que apoia a consulta pública da ANP (Agência Nacional de Petróleo) para discutir a periodicidade do repasse dos reajustes dos preços dos combustíveis.

Segundo Monteiro, a consulta pública da estatal vai contribuir “fortemente” com a discussão. As sugestões serão colhidas pela agência reguladora entre 11 de junho e 2 de julho.

“Ele [Eunício] apoia bastante a iniciativa da agência reguladora, da ANP, que está colocando em audiência pública e está trazendo a sociedade para discussão em relação à periodicidade dos aumentos dos combustíveis. Então, nós dissemos para ele que a Petrobras apoia essa iniciativa e vai aguardar o resultado final da consulta pública, que é liderada pela ANP e vai contribuir fortemente para essa discussão”, disse Ivan Monteiro.

Na semana passada, ele disse a estatal vai aguardar o resultado da consulta pública para, então, definir os rumos de sua política de preços.

O novo presidente da Petrobras classificou a consulta pública administrada pela ANP como “muito importante”, disse ainda que a estatal irá “contribuir muito” com a audiência.

“A contribuição que a Petrobras vai dar vai ser sobre sua atuação no mercado, a transparência com que a gente pratica e nós vamos contribuir muito porque acreditamos que a iniciativa da ANP é muito importante e é ela que vai auxiliar na resolução dessas questões. Acho que a discussão aberta com a sociedade é o único caminho e nós temos um regulador, regulador que todos respeitam”, relatou.

A decisão de abrir a consulta foi aprovada por unanimidade pela agência após o governo anunciar a redução do preço do diesel em R$ 0,46 por litro, como parte das ações para encerrar a greve dos caminhoneiros que durou 11 dias e provocou uma crise de desabastecimento em todo o País.

A consulta vai coletar dados, informações e evidências para criar uma resolução sobre o período mínimo para o repasse ao consumidor dos reajustes dos preços dos combustíveis. Assim, a ANP espera que a nova regulação seja anunciada a partir de agosto.

Deixe seu comentário: