Últimas Notícias > Colunistas > Preço da liberdade

O presidente russo Vladimir Putin convidou o líder norte-coreano Kim Jong-un para visitar a Rússia em setembro

Vladimir Putin não usa redes sociais, mas sua equipe sim. (Foto: Reprodução)

O presidente russo Vladimir Putin convidou nesta quinta-feira (14) o líder norte-coreano, Kim Jong-un, para visitar a Rússia em setembro. O convite foi feito durante um encontro, em Moscou, com Kim Yong-nam, que é o presidente do Parlamento da Coreia do Norte. As informações são das agências de notícias Efe e Reuters.

Kim Yong-nam também entregou uma carta do líder do seu país, Kim Jong-un, ao presidente da Rússia.

Putin reiterou o convite ao líder norte-coreano para que visite a Rússia, assim como fez o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, quando visitou Pyongyang no dia 31 de maio.

“Gostaria de reiterar e pedir que entregue o nosso convite para visitar a Rússia ao líder norte-coreano, o camarada Kim Jong-un. Isso poderia acontecer, por exemplo, durante o Fórum Econômico Oriental, que será realizado em Vladivostok em setembro”, afirmou o presidente russo.

Mas também “poderia ser de forma separada, sem relação com nenhum evento internacional. Podemos coordenar isso através das nossas chancelarias”.

A visita a Moscou do presidente do parlamento norte-coreano aconteceu poucos dias depois da histórica cúpula entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em Singapura.

Na quarta-feira (13), o Kremlin havia dito que a reunião de Trump e Kim mostrou que Vladimir Putin estava certo em defender o diálogo direto como única maneira de reduzir as tensões com Pyongyang.

O chefe do Kremlin considerou que tal cúpula contribuirá para diminuir a tensão na península coreana e abriu as portas para um “acerto dos problemas por métodos pacíficos e político-diplomáticos”.

“A Rússia sempre defendeu isso e deu os passos para tal. Estamos preparados para continuar atuando nesta direção”, disse o presidente russo.

Mundial

Após ser reeleito em uma eleição contestada, o presidente Vladimir Putin quer usar o Mundial de futebol em seu país para melhorar sua imagem internacional e mostrar que não está isolado do Ocidente.

Um trabalho gigantesco foi colocado em prática para a realização do campeonato. Além dos estádios, novos terminais de aeroportos foram construídos, como em Saransk. Calçadas foram refeitas. O metrô recebeu placas em inglês para orientar os turistas que, até então, eram obrigados a se orientar em cirílico pelo complexo sistema metroviário.

Nada deve perturbar a competição. O líder do Kremlin deixou claro objetivo nacional: mostrar ao mundo a melhor face do país, de acordo com o jornal francês “Le Monde”. As medidas de segurança são bastante rigorosas, uma vez que o Estado Islâmico fez uma série de ameaças contra o Mundial.

Deixe seu comentário: