Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Maradona livra Messi da responsabilidade pela derrota da seleção argentina

O presidente Temer disse que não pretende acabar com Bolsa Família e que o programa deve ter reajuste

Temer em audiência durante o Fórum Econômico Mundial. (Foto: Beto Barata/PR)

O presidente Michel Temer afirmou nesta quarta-feira (14) que não pretende acabar com o Bolsa Família e que o programa deve receber aumento em breve. Temer fez a declaração durante sua participação na abertura do Fórum Econômico Mundial para a América Latina, que ocorre em São Paulo até esta quinta-feira.

“Eu não estou pregando isso [a eliminação do Bolsa Família], estou pregando a manutenção, que aliás, ganhou um aumento no início do meu governo e deverá muito proximamente ganhar um novo aumento. Então, estamos pregando que haja uma evolução no tópico da responsabilidade social”, esclareceu Temer.

Em seu discurso de apresentação, Temer admitiu que a pobreza extrema é um dos desafios do País e explicou que o objetivo de seu governo é evitar que programas assistencialistas ainda estejam na pauta do País nos próximos anos. Pra isso, ele defende uma “evolução” do programa até sua possível eliminação a longo prazo.

“Nós precisamos progredir e, por isso, lançamos muito recentemente um programa chamado Progredir, que é para dar emprego aos filhos daqueles desfrutantes do Bolsa Família. Porque, ao longo do tempo esse pessoal vai se incluindo na sociedade e ao longo do tempo, digo eu, quem sabe, possamos eliminar essa questão do Bolsa Família”, disse Temer.

O presidente enfatizou que o programa faz parte de um dos eixos prioritários de sua gestão, a responsabilidade social, e que o valor concedido às famílias beneficiários sofrerá reajuste, sem dar detalhes sobre o aumento.

Melhor resultado desde 2006

O acompanhamento na área da saúde do Bolsa Família teve, no segundo semestre de 2017, o melhor resultado desde 2006, informou o MDS (Ministério do Desenvolvimento Social). No total, 8.507.592 de famílias tiveram os dados registrados, o que representa 77,5% de crianças menores de sete anos e gestantes beneficiárias do programa.

Cerca de 5,4 milhões de crianças acompanhadas estavam com a vacinação em dia e tiveram os dados nutricionais coletados. Mais de 369 mil gestantes realizaram os exames do pré-natal.

As condicionalidades são compromissos assumidos pelos beneficiários do Bolsa Família e permitem o acesso das famílias beneficiárias aos serviços de saúde, melhorando não só a condição das crianças e gestantes atendidas, mas de toda a família, como explica o diretor de Condicionalidades do MDS, Eduardo Pereira. “Quando uma mãe leva a criança para vacinar, por exemplo, ela acaba abrindo a porta para que outros membros da família também tenham acesso a outras informações sobre atenção à saúde e das diversas políticas da área”, afirma.

De acordo com Pereira, as crianças acompanhadas terão condições de superar a situação de pobreza na qual estão inseridas. “Ao estimular o acesso ao serviço de saúde, essas crianças irão se transformar em jovens e adultos mais saudáveis porque tiveram o acompanhamento desde o pré-natal”, completa.

Deixe seu comentário: