Home > Atividades Empresariais > Santa Casa recria UTI em congresso de cardiologia

O programa de milhagem Smiles disponibilizará contas conjuntas para agrupar milhas de até seis pessoas

Famílias poderão usar "conta conjunta". (Foto: Divulgação)

O programa de fidelidade Smiles vai lançar nesta segunda-feira (19) uma espécie de “conta conjunta” para milhas. Batizado de conta família, o serviço vai permitir que até seis clientes juntem suas milhas em um único local. O benefício será gratuito, mas só para clientes que são assinantes do clube Smiles.

Segundo o presidente da Smiles, Leonel Andrade, a ideia veio do comitê de inovação da companhia e atende um desejo do consumidor. Hoje clientes da mesma família têm contas individuais independentes e muitas vezes nenhuma delas têm saldo suficiente para resgatar uma passagem.

Um casal, por exemplo, que tem 7 mil milhas em uma conta e 3 mil na outra não consegue comprar uma passagem que custa 10 mil pontos. O Smiles permite a transferência de pontos entre as contas, mas cobra uma tarifa sobre o serviço.

“Pela primeira vez no setor teremos uma coalizão de pontos entre pessoas físicas. Hoje só temos entre empresas”, disse Andrade, ressaltando que a iniciativa é inédita na indústria de milhagem no mundo.

Estímulo aos assinantes

A conta família é uma forma de estimular as pessoas cadastradas no Smiles a aderir o seu programa de assinaturas, o Clube Smiles. Por meio do programa, os assinantes pagam um valor mensal para receber um crédito de milhas recorrentes e outros benefícios, como vantagens em promoções da empresa.

“É um benefício adicional para quem tem o clube. É o cliente que mais valoriza o programa e queremos dar mais vantagens a ele”, disse Andrade.

O Smiles tem 12 milhões de clientes cadastrados, mas a empresa não divulga quantos deles fazem parte do clube.

Andrade estima que 25 mil grupos terão a conta família do Smiles em 12 meses.

Como funciona

Cada grupo terá um administrador, que poderá adicionar outras cinco pessoas à conta. Apesar do produto chamar conta família, os membros do grupo não precisam necessariamente ter parentesco.

As milhas que eles acumularam antes de entrar no grupo permanecem nas suas contas individuais. O que for adicionado depois vai para a conta do grupo.

Programas de fidelidade crescem

O número de brasileiros inscritos em programas de fidelidade cresceu cerca de 15% em 2016 e encerrou o ano em 90 milhões. São cerca de 12 milhões de novos cadastros em um ano. As informações são de balanço da Abemf (Associação Brasileira de Empresas do Mercado de Fidelização).

O aumento dos cadastros é reflexo do amadurecimento do setor no Brasil e da própria crise econômica, disse o presidente da Abemf, Roberto Medeiros. “Com a crise, as pessoas valorizaram mais os seus pontos de programas de fidelidade. Esses pontos valem prêmios, como viagens, eletrônicos e recargas de celular”, afirmou o executivo, que também é presidente da Multiplus, empresa de fidelidade controlada pela Latam.

E não foram apenas os cadastros que aumentaram. O volume de conversões de pontos por prêmios cresceu 9% no ano. “Foi um ano de mais engajamento do cliente. Pedir o ponto virou lei. Os consumidores começaram a ver seus pontos como moeda”, disse Daniel Campos, diretor de marketing da Dotz, programa de fidelidade focado no varejo.

Comentários