Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Neymar levou dois cabeleireiros para o Mundial

O que é e como funciona a moeda virtual Bitcoin

O Bitcoin é, atualmente, a criptomoeda mais famosa do mundo. (Foto: Reprodução)

Depois do boom das moedas virtuais em 2017, provavelmente você acabou ouvindo falar em Bitcoin. Pioneira no segmento, o Bitcoin é, atualmente, a criptomoeda mais famosa do mundo. Utilizada anteriormente por apaixonados por tecnologia, o crescimento da moeda despertou a atenção de investidores em todo o mundo. As informações são do site CanalTech.

Mas afinal, o que é Bitcoin?

Assim como o Dólar ou o Real, o Bitcoin é uma moeda. Sua principal diferença, no entanto, é que a sua emissão não é feita por nenhum Banco Central. Na verdade, o Bitcoin não existe no mundo material, então não é possível ver notas de Bitcoin circulando por aí. Criada em 2008, a moeda virtual é gerada por sistemas computacionais de forma descentralizada e criptografada, o que garante a segurança dos dados.

O processo de criação de um Bitcoin é chamado de “mineração”. Em 2009, qualquer pessoa que tivesse o software poderia “minerar”, mas a partir do crescimento da moeda, o número de mineiros de Bitcoin foi reduzido, ficando a tarefa de criar Bitcoins restrita apenas para quem tem computadores com hardware robusto. O sistema foi desenvolvido para que sejam produzidas apenas 21 milhões de unidades em todo o mundo.

Como conseguir Bitcoins

Agora que você já sabe o que é Bitcoin, provavelmente está se perguntando: o que se ganha sendo minerador da moeda? Bitcoins, claro. Pela fabricação de moedas, os mineradores recebem criptomoedas em troca. Apesar disso, a mineração não é a única forma de adquirir Bitcoins. É possível comprar a criptomoeda em corretoras ou vendendo produtos/serviços em sua troca.

Os Bitcoins ficam armazenados em uma carteira virtual, gerada ao usuário no momento de seu cadastro no sistema. Para isso, é emitido ao usuário um endereço com letras e números que deverá ser utilizado para a efetivação das transações.

Outro ponto interessante é que todas as transações de Bitcoin podem ser vistas por qualquer pessoa. É isso mesmo, com transações públicas, é possível verificar os valores das transferências e os números das carteiras responsáveis pelos negócios. A identidade dos envolvidos, no entanto, se mantém no anonimato. Para isso, todas as transações efetuadas ficam armazenadas no “blockchain”, que funciona como um banco de dados descentralizado que utiliza criptografia para identificar todas as movimentações.

Quanto vale o Bitcoin

Assim como a cotação de moedas tradicionais, o valor do Bitcoin varia de acordo com a demanda. Quanto maior a procura, maior o valor. Apesar disso, especialistas em finanças ainda consideram o investimento em Bitcoin como de alto risco, afinal, não há garantias de que o valor da moeda crescerá ao longo do tempo.

Seja como for, para se ter dimensão do alcance que o Bitcoin teve em 2017, o número de usuários da moeda alternativa saltou de 3 a 6 milhões em abril para 10 a 20 milhões no final do ano. Apesar das oscilações de cotação, a moeda chegou a atingir o patamar de US$ 18 mil (aproximadamente 59 mil reais).

Ao que tudo indica, o boom do Bitcoin teve alguns fatores como origem. De acordo com especialistas, um dos principais pontos foi a chegada da criptomoeda no mercado financeiro tradicional com a Chicago Board Options Exchange. Apesar disso, alguns pesquisadores alegam que o crescimento da moeda virtual funciona como uma bolha especulativa que não se sustentará.

O futuro do Bitcoin

A popularidade do Bitcoin tem aberto espaço para o mercado comum. Hoje já é possível encontrar empresas que aceitam a criptomoeda como forma de pagamento. É verdade que atualmente o número de estabelecimentos comerciais que trabalham com moeda virtual ainda é pequeno, mas a tendência é que haja aumento considerável nos próximos anos. Prova disso é que alguns países já estão procurando meios para regulamentar a moeda.

Interessante notar que, mesmo com a perspectiva da regulamentação, alguns economistas mantêm olhar cético sobre o futuro do Bitcoin. Para eles, é possível que o mundo esteja vivendo um momento de euforia que logo deve passar.

De acordo com analistas financeiros, apesar da criptomoeda estar atraindo a atenção de milhares de investidores e de pessoas comuns, muitas delas ainda não sabem o que é Bitcoin ou qual é o seu funcionamento. Por isso, a sugestão dos especialistas é aguardar para ver as próximas movimentações do mercado e observar, principalmente, se o valor do Bitcoin vai se manter equilibrado ou se nos próximos anos a grande oscilação prevalecerá.

Deixe seu comentário: