Rio Grande do Sul deve receber verba federal de mais de 7 milhões de reais por ano para serviços de saúde mental

Dentre os beneficiados está o Centro de Saúde São João da Reserva, em São Lourenço do Sul. (Foto: Divulgação)

Na tarde dessa quinta-feira, a titular da SES (Secretária Estadual da Saúde), Arita Bergmann, confirmou a habilitação de 38 leitos hospitalares em saúde mental e 14 novos serviços do setor no Estado, para que recebam verbas federais de R$ 7,4 milhões anuais, por meio do Ministério da Saúde. O anúncio foi feito durante a a 14° edição do evento Mental Tchê, em São Lourenço do Sul.

Dentre os serviços que serão implantados, está a Unidade de Acolhimento para adultos especializada no atendimento de gestantes usuárias de drogas, primeira experiência na área, a ser implantada no Centro de Saúde São João da Reserva, em São Lourenço do Sul.

De acordo com Arita, quando esteve no Rio Grande do Sul em abril (para a abertura oficial da campanha de vacinação contra a gripe), o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) se comprometeu a habilitar novos serviços de saúde mental a pedido do governo estadual. Veja, a seguir, os serviços que receberão verbas federais:

– Nove equipes multiprofissionais de atenção especializada em saúde mental, em Porto Alegre;

– Um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) tipo 1, em Soledade;

– Um Caps Álcool e Drogas tipo 3, em Barra do Ribeiro;

– Um Serviço Residencial Terapêutico tipo 2, em Cachoeira do Sul;

– Uma Unidade de Acolhimento adulto, em São Lourenço do Sul;

– Uma Unidade de Acolhimento infantil, em Santa Cruz do Sul;

A secretária também anunciou que a região Sul do Estado foi a escolhida pela gestão estadual para ser laboratório da planificação em saúde mental, com o objetivo de colocar a rede básica como ordenadora do cuidado.

A unidade também será instalada em São Lourenço do Sul e deve contar com também um ambulatório de especialidade em saúde mental. Por critérios técnicos, o município foi escolhido para o desenvolvimento do projeto da planificação através da equipe do Hospital Albert Einstein, de São Paulo.

Mental Tchê

Até sexta-feira, autoridades e gestores da área de saúde se reúnem em São Lourenço do Sul para o 14º Mental Tchê. Com o tema “Saúde Mental na Atenção Básica: Fortalecendo as Redes de Saúde por um Cuidado E(a)fetivo”, o evento traz mesas com profissionais da área de diversas cidades gaúchas e também de São Paulo.

Paralelamente, ocorrem apresentações culturais e exposições de geração de renda e atividades dos usuários da Raps (Rede de Atenção Psicossocial). A atividade é direcionada a profissionais de saúde, usuários do SUS (Sistema Único de Saúde), familiares, gestores, estudantes e demais interessados.

Em 1988, São Lourenço do Sul foi o município pioneiro no Rio Grande do Sul na implantação dos Caps (Centros de Atenção Psicossocial), com Arita Bergmann à frente da Secretaria Municipal da Saúde. Hoje, a cidade conta com três Caps, incluindo um infantil e um especializado no tratamento de usuários de álcool e drogas, bem como 30 leitos psiquiátricos no Hospital Geral. O evento ainda faz alusão ao Dia Nacional de Luta Antimanicomial, celebrado em 18 de maio.

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: