Últimas Notícias > Atividades Empresariais > Indicações de sommeliers gaúchos na Dionisia VinhoBar

O Rio Grande do Sul e mais 15 Estados registraram atos em defesa da Amazônia neste sábado

Em Porto Alegre, um grupo de manifestantes se reuniu no Parque Farroupilha. Munidos de cartazes, eles protestaram contra as queimadas que estão atingindo a floresta. (Foto: EPTC/Divulgação)

Cidades brasileiras registraram, ao longo deste sábado (24), atos em defesa da Amazônia. Pelo menos 22 municípios dos Estados do Rio Grande do Sul, Alagoas, Amazonas, Ceará, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins tiveram protestos pacíficos.

Na sexta-feira (23), várias cidades também registraram protestos pelo País. No Rio, a Cinelândia ficou lotada. Em São Paulo, manifestantes se reuniram em frente ao Masp (Museu de arte de São Paulo) e fecharam um trecho da Avenida Paulista.

As queimadas geraram uma crise no governo federal, que vem sendo cobrado nos últimos dias no Brasil e no exterior por causa da situação da floresta. Artistas, sociedade civil e líderes de outros países se manifestaram em defesa da Amazônia. De acordo com a Nasa (Agência Espacial Norte-Americana), 2019 é o pior ano de queimadas na Amazônia brasileira desde 2010.

Na manhã deste sábado, o governo federal informou que seis Estados da Amazônia já formalizaram pedido para ação das Forças Armadas no combate às queimadas. Na sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto autorizando o envio de homens das Forças Armada. O decreto do presidente vale para toda a Amazônia Legal, da qual fazem parte os estados da Região Norte, além do Mato Grosso e Maranhão.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, um grupo de manifestantes se reuniu no Parque Farroupilha (Redenção). Munidos de cartazes, eles protestaram contra as queimadas que estão atingindo a floresta nos últimos dias. O ato contou ainda com uma caminhada no local.

Foto velha

Ao divulgar pelo Twitter ações de combate a focos de incêndio na região da Amazônia, o Ministério da Defesa misturou uma foto antiga com imagens novas feitas neste sábado.

As mensagens foram compartilhadas pelo presidente Jair Bolsonaro. Na primeira postagem, por volta das 16h, o ministério publicou uma foto de uma aeronave soltando água em cima de uma região com fogo, o que dava a entender ser relacionada com a ação atual.

“Nosso papel é atuar em prol da nação. Mais de 43 mil militares das Forças Armadas reforçam ações de combate a incêndios na #Amazônia”, escreveu a Defesa no post. A mesma imagem, no entanto, aparece também vinculada a uma notícia de novembro de 2015, sobre o trabalho realizado para conter chamas na Chapada Diamantina (BA).

Por volta de 17h, Bolsonaro pegou a mesma foto com parte do texto e compartilhou em sua conta no Twitter. Mais tarde, por volta das 18h, o ministério usou de novo a rede social para divulgação das ações na região da Amazônia, dessa vez com imagens feitas na tarde deste sábado.

“A @portafab [conta do Twitter da Força Aérea Brasileira] emprega, a partir de hoje [24], duas aeronaves C-130 Hércules no combate aos focos de incêndio na #Amazônia, partindo de Porto Velho (RO). Confira a ação”, texto que aparece acompanhando o vídeo postado, o que Bolsonaro também compartilhou em sua rede.

A assessoria de imprensa do ministério confirmou que a primeira foto postada era antiga e disse que foi usada de forma “meramente ilustrativa”, para tratar sobre uma atividade que ainda iria ocorrer. A imagem faz parte de um banco de dados da FAB (Força Aérea Brasileira).

Deixe seu comentário: