Últimas Notícias > Colunistas > Armando Burd > Oportunidade para não ser perdida

O Rio Grande do Sul terá mais nove escolas de ensino médio em tempo integral, beneficiando 2 mil e 500 estudantes

Escola Itália, em Porto Alegre, é uma das contempladas. (Foto: Divulgação/Governo do Estado)

O Rio Grande do Sul iniciou o ano letivo de 2019 com mais nove escolas de ensino médio em tempo integral. As instituições se somam a outras 12 implantadas em 2018 e que são mantidas com recursos provenientes do Ministério da Educação.

De acordo com o governo do Estado, a iniciativa foi viabilizada pelo repasse de R$ 8,5 milhões para a aquisição de equipamentos (laboratórios, material esportivo, além das adequações de espaços), formações de professores e projetos pedagógicos. O número de estudantes contemplados é de 2,5 mil estudantes.

O secretário da Educação, Faisal Karam, ressalta que a preocupação, neste primeiro momento, é de que a implantação do programa seja eficaz, para então ampliar as adesões posteriormente: “Este é um processo que necessita de uma fase de maturação. As adesões dependem muito do que cada comunidade escolar quer. Acreditamos que com o sucesso da iniciativa, posteriormente mais escolas se interessarão em participar”.

Instituições contempladas em 2019

– Escola Professora Sylvia Mello – Pelotas;

– Escola Hermes Pintos Affonso – Jaguarão;

– Escola Maria Dulcina – Nonoai;

– Escola Francisco Brochado da Rocha – São Sepé;

– Escola Dr. Paulo Devanier Lauda – Santa Maria;

– Instituto de Educação Mãe de Deus – Tupanciretã;

– Escola Prof. Carlos Lorea Pinto – Rio Grande;

– Escola Vital Brasil – Cachoeira do Sul;

– Instituto de Educação Padre Francisco Garcia – São Borja;

Escolas com turno integral desde 2018

– Escola Itália – Porto Alegre;

– Colégio Piratini – Porto Alegre;

– Colégio A. J. Renner – Montenegro;

– Instituto de Educação Sapiranga – Sapiranga;

– Escola Fernando Ferrari – Campo Bom;

– Escola Adelina da Cunha – Parobé;

– Escola Cristóvão de Mendoza – Caxias do Sul;

– Instituto de Educação Santo Antônio – Santo Antônio da Patrulha;

– Escola Farroupilha – Bagé;

– Colégio José Loureiro da Silva – Esteio;

– Escola Senador Salgado Filho – Alvorada;

– Escola Setembrina – Viamão.

Relações étnico-raciais

Nesta samana, a implementação de políticas de relações étnico-raciais na rede pública de ensino foi debatida em encontro que reuniu representantes das Coordenadorias Regionais de Educação. A atividade de capacitação teve como foco a abordagem de temas étnico-raciais dentro nas escolas gaúchas.

“Precisamos repensar a organização social e a educação das relações étnicas é fundamental para isso. Nosso trabalho busca uma sociedade justa, igualitária e sem discriminações. Precisamos ter a consciência de que todas as pessoas têm direito à educação e de se reconhecer nesse processo”, frisou a assessora da Secretatria Estadual da Educação, Lúcia Regina Brito Pereira.

A reunião contou com a presença de representantes de entidades ligadas ao tema como o professor Waldemar de Moura Lima, membro do Fórum Permanente de Educação Étnico-Racial do Estado. Para ele, o resgate do que foi vivenciado pelo povo negro ao longo da história do Brasil, precisa ser discutido para que possam ser compreendidos os problemas sociais da atualidade.

“A verdadeira história do País não é contada. Quando não conhecemos nossas raízes não podemos projetar o futuro. Os brasileiros desconhecem a própria história e isso se reflete nos gargalos sociais vistos hoje”, lamentou.

Desde 2017, o Estado conta com o Plano Estadual de Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Ele determina a inclusão da educação das relações nas redes estadual, municipal e privada, além de abordar histórias e culturas afro-brasileiras, africanas e dos povos indígenas.

A sua elaboração nasceu a partir de reivindicações de setores da sociedade por um instrumento que auxiliasse na busca pela superação das desigualdades educacionais e erradicação de todas as formas de discriminação.

(Marcello Campos)

Deixe seu comentário: