Sábado, 07 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Celebridades Ocultação do número de curtidas no Instagram ameaça prazer dos usuários; dizem especialistas

Com uma média de 200 mil curtidas em suas postagens, a musa fitness garante que não se apega a esses detalhes. (Foto: Reprodução/Instagram)

A guerra por likes chegou ao fim no Instagram. É que, desde a tarde de quinta-feira (18), a rede social passou a ocultar o número de curtidas, com a intenção de reduzir a competição entre seus usuários, principalmente, entre os “biscoiteiros”, aquelas pessoas que não perdem a oportunidade de chamar atenção, com fotos e vídeos em busca da aprovação dos seguidores.

No novo formato, apenas o dono do perfil terá acesso a esse tipo de informação, transformando o jeito como famosos e anônimos se comunicam com amigos e fãs. A medida divide opinião entre influenciadores digitais,
que já haviam se habituado a se aproveitar do número de curtidas para vender produtos e ganhar dinheiro.

Celebridades também costumavam medir a fama através das curtidas, como a atriz Grazi Massafera; o comediante Whindersson Nunes; e Gabriela Pugliesi, a musa que se lançou no Instagram. Seguida por quase oito milhões de pessoas, Gracyanne Barbosa encanta seus seguidores diariamente ao compartilhar fotos que valorizam seu corpo superdefinido.

Com uma média de 200 mil curtidas em suas postagens, a musa fitness garante que não se apega a esses detalhes. “Eu acho ótimo acabar com essa dependência de curtidas. As pessoas vão poder viver mais livres. Afinal, a credibilidade não pode ser medida pela quantidade de likes em uma postagem”, garante ela.

Dona de uma rede de parcerias invejáveis, Gracy está tranquila quanto às parcerias de trabalho. “Isso não vai me prejudicar em nada”, garante. Umas das primeiras blogueiras do Brasil, Camila Coutinho, que fez breve participação na novela “A Dona do Pedaço”, da Globo, e que serviu de inspiração para Vivi Guedes, personagem de Paolla Oliveira, acredita que a medida vai filtrar melhor a forma como as pessoas lidam com sua autoestima

“O Instagram é uma ferramenta muito lucrativa com campanhas e produtos. Mas acho que as histórias são mais importantes do que likes”, assume ela, seguida por 2,4 milhões de pessoas. A transformação, no entanto, pode causar impacto negativo para quem gosta de exibir suas curtidas na rede social.

“Pessoas com estrutura emocional muito fundada em valores narcísicos podem se afetar com essa alteração de exibição de poder e influência. Por outro lado, o excesso de pressão social e a necessidade de aparentar felicidade e popularidade também podem ser fatores geradores de ansiedade e causarem transtornos psíquicos”, alerta a psiquiatra Raquel Peixoto Barbosa, do Hospital Adventista Silvestre.

Segundo ela, esse é um ótimo momento para as pessoas olharem mais para si. “É hora de buscar novas formas de amor próprio, caso sintam-se impotentes. Acredito que foi válido, e será um desafio interessante  ara a sociedade”, diz. Especialista em mídia social, Fabiano Abreu, criador da MF Press Global, diz que a medida é positiva, já que hoje o número de curtidas tem sido mais importante do que as próprias imagens.

“O Instagram existe para a pessoas postarem seu dia a dia e se divertirem com isso. O problema é que essa profissão de influenciador criou uma competição. Quem não tem um número de seguidores e de curtidas acabaram se desinteressando”, avalia ele, que acredita que também haverá uma transformação no mercado dos influenciadores digitais. “Acho que só vai sobreviver quem tem bons conteúdos. Aquelas blogueiras que compram seguidores, e não são poucas, vão perder espaço”, diz ele.

Menos competição, mais qualidade

o ocultar a contagem das curtidas, o Instagram pretende amenizar a pressão sobre seus usuários. A ideia principal por trás dessa mudança é a aceitação social, mostrando que os números pouco importam. “Não queremos que as pessoas sintam que estão em uma competição dentro do Instagram, e nossa expectativa é entender se uma mudança desse tipo poderia ajudar as pessoas a focar menos nas curtidas e mais em contar suas histórias”, disse a empresa através de nota.

O teste já vem sendo aplicado no Canadá desde maio. A empresa afirmou que os resultados estão sendo positivos, mas a expansão em outros países, como o Brasil, é justamente uma forma de avaliar com mais clareza se o novo recurso é realmente válido. Vale ressaltar que as métricas para as empresas no Instagram Insights ou nos gerenciadores de anúncios não serão afetadas. A medida ainda é uma mudança temporária, entretanto, dependendo da aprovação dos usuários, será oficial na plataforma.

Polêmica

Na medida de ocultar o número de curtidas nas publicações não abala apenas influenciadores digitais. No Twitter, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) reclamou da mudança. “O intuito é barrar o crescimento dos que pensam de forma independente. As justificativas usadas para não mostrar as curtidas como combate ao bullying e suas derivações são apenas a certeza de que seguem a cartilha ideológica ‘progressista”, declarou ele. Já o youtuber Felipe Neto apóia a decisão para “diminuir essa disputa vazia de vaidades, essa busca constante de tentar parecer algo que não é”.

 

 

Todas de Celebridades

Compartilhe esta notícia:

Trump afirma que vai ajudar a resolver questão entre a Coreia do Sul e o Japão se for necessário
TRT4 autoriza Simpa a descontar mensalidades de sócios na folha de pagamento
Deixe seu comentário
Pode te interessar