Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Um ministro do Tribunal Superior Eleitoral negou o pedido de um cidadão para que a eleição presidencial fosse adiada até que Bolsonaro se recupere

O técnico da Seleção Brasileira conversou com a imprensa por 40 minutos, mas a metade do tempo foi só para falar de Neymar

O técnico da Seleção Brasileira, Tite. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Por 40 minutos, o técnico da Seleção Brasileira, Tite, falou com a imprensa na manhã desta segunda-feira (12), sobre a última convocação da equipe antes do anúncio da lista final dos que vão ao Mundial da Rússia. No auditório da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), no Rio de Janeiro, ele deu detalhes dos jogadores relacionados para os amistosos do fim do mês, contra Alemanha e Rússia, mas acabou tendo de responder a muitas perguntas sobre Neymar, recém-operado e que só deve voltar às atividades em maio. As informações são do portal de notícias Terra.

Ao todo, Tite foi indagado 18 vezes pelos jornalistas. Em nove delas, Neymar esteve em pauta. Isso levou o técnico a ressaltar que a força de um grupo depende de toda a equipe e não pode estar direcionada a apenas um jogador.

“É desumano botar toda a responsabilidade nas costas do Neymar”, disse, destacando, por exemplo, que Wllian, Firmino e Douglas Costa estão “jogando muito” e que a Seleção é composta de vários atletas de ponta. Pouco antes, pediu que o preparador físico da Seleção, Fabio Mahseredjian, expusesse como a comissão técnica espera ver o craque na Copa, que começa em junho.

“O lado bom disso é que ele vai chegar à Copa com uma carga bem pequena de jogos na temporada”, declarou Fabio.

Para Tite, o mais importante no momento é que a saúde de Neymar esteja em dia. Ele não se incomodou de ter de falar tanto de Neymar, apesar de em uma das perguntas ter dito que já havia respondido sobre a recuperação do atacante.

 

Deixe seu comentário: