Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Mais de 2,1 mil motoristas foram multados nas estradas federais gaúchas no feriadão

O técnico Tite esboçou a Seleção Brasileira com Renan Lodi e Everton Cebolinha como titulares para o amistoso deste domingo contra a Nigéria

Everton Cebolinha deverá ser titular na partida contra a Nigéria. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

O técnico Tite deve fazer apenas duas substituições para a Seleção Brasileira enfrentar a Nigéria, no amistoso deste domingo (13), às 9h (de Brasília). No treino tático sem adversário neste sábado (12), o treinador ensaiou a equipe com Renan Lodi no lugar de Alex Sandro e Everton Cebolinha, que entra na esquerda. Sai Philippe Coutinho. Neymar recuou para fazer a função do meia do Bayern de Munique.

O treinador falou ainda no sábado em entrevista coletiva no hotel da Seleção Brasileira em Singapura. O Brasil não sabe o que é vencer desde a final da Copa América (3 a 1 no Peru). Depois, em três amistosos perdeu para os peruanos (1 a 0) e empatou duas vezes (2 a 2 com a Colômbia e 1 a 1 frente à Nigéria, na última quinta-feira).

Se Tite decidir manter a formação da atividade, o time brasileiro que entrará em campo contra os nigerianos será Enderson, Daniel Alves, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Casemiro, Arthur e Neymar; Gabriel Jesus, Roberto Firmino, e Everton Cebolinha.

Na última data Fifa, o técnico Tite fez quatro mexidas do time titular que iniciou a partida contra a Colômbia para o jogo contra o Peru – saíram Daniel Alves, Thiago Silva, Arthur e Neymar, entraram Fagner, Eder Militão, Allan e Richarlison.

Cobrança

Os últimos três jogos da Seleção Brasileira sem vitória deixam o técnico Tite incomodado. E não é só pelo fato de o time não ter alcançado bons resultaos. Mas recuperar o bom futebol é a principal meta da equipe no amistoso deste domingo pela manhã diante da Nigéria.

“O que mais preocupa é o desempenho, ter um time equilibrado. O resultado é apenas uma consequência. Temos pressão de vencer e é normal. Mas o que preocupa é jogar bem e ter equilíbrio”, comentou o treinador durante entrevista coletiva neste sábado.

As equipes comandadas por Tite não costumam brindar os torcedores com um número excessivo de gols, mas passam grande segurança defensiva. Nas últimas três apresentações, o Brasil marcou três vezes, mas foi vazado em quatro oportunidades. Claramente, o desempenho do sistema defensivo caiu.

Além do equilíbrio, Tite garante que pediu aos jogadores mais energia. A falta de competitividade do Brasil nos amistosos também chamou a atenção desde a conquista da Copa América. “Fiquei chateado, sim. E externei isso. Mas acho que posso dar minha parcela para que a coisa possa fluir melhor. Há uma série de situações que determinam esse fato de não competir, mas não quero entrar neles”. disse o técnico, dividindo as responsabilidades.