Últimas Notícias > Bem-Estar > Nova etapa da campanha nacional de vacinação contra o sarampo começa nesta segunda

O WhatsApp completa 10 anos; relembre alguns momentos que marcaram a sua história

Truque com o gravador de tela permite publicar conversas nas histórias do mensageiro. (Foto: Reprodução)

É difícil de acreditar, mas hoje a WhatsApp Inc. completa exatos dez anos de vida. Nesta década, o aplicativo revolucionou o mundo das comunicações, ao oferecer uma alternativa gratuita para trocar mensagens instantâneas pelo celular, e viu seu número de usuários explodir pelo mundo todo. A empresa foi fundada em fevereiro de 2009, nos Estados Unidos, por dois ex-funcionários do Yahoo!, o ucraniano Jan Koum e o norte-americano Brian Acton. Desde 2014, pertence ao Facebook.

De polêmicas a atualizações importantes, de notícias falsas a criptografia de mensagens, o WhatsApp viveu grandes momentos ao longo da sua existência. Relembre alguns desses fatos.

1. Fundação do WhatsApp

Poucos sabem, mas a proposta inicial do WhatsApp era completamente distante daquela que, posteriormente, conquistou o mundo. A função de troca de mensagens só foi disponibilizada na versão 2.0, que chegou à App Store em agosto de 2009. Foi ela que fez a quantidade de usuários saltar para 250 mil “de repente”, segundo os próprios criadores.

A primeira versão do aplicativo, lançada no início do mesmo ano, era bastante instável e focava em um “status”, que ficava visível para os contatos e que era atualizado à vontade pelos usuários. Essa história começou a mudar em junho, após algumas correções e o lançamento das notificações no iOS. Com os alertas aparecendo na tela do celular, as pessoas passaram a usar o app para, simplesmente, conversar. Foi aí que o WhatsApp virou a chave.

O serviço viu potencial para competir internacionalmente com o SMS, que, apesar de gratuito nos Estados Unidos, ainda é pago em vários países. “É ridículo”, Koum explicou na época. “É uma tecnologia morta como uma máquina de fax remanescente dos anos 70, sentada lá como uma vaca de dinheiro para as operadoras.”

2. Comprado pelo Facebook

Em fevereiro de 2014, o WhatsApp foi comprado pelo Facebook por um investimento total de US$ 19 bilhões. Desses, US$ 12 bilhões foram dados em ações do Facebook, e ainda US$ 3 bilhões em ações restritas, distribuídas aos funcionários do WhatsApp. Pelo acordo, Jan Koum, cofundador e CEO do WhatsApp, se tornou um executivo do Facebook, também ocupando uma cadeira no conselho.

3. Um bilhão de usuários

O aplicativo atingiu a marca recorde de 1 bilhão de usuários mensais em fevereiro de 2016, além de um total de 42 bilhões de mensagens compartilhadas diariamente. Em nota publicada no próprio blog, a empresa afirmou: “Diante de todos os progressos que fizemos nos últimos sete anos, a nossa missão nunca mudou. O WhatsApp começou como uma ideia simples: garantir que qualquer pessoa pudesse ficar em contato com a família e os amigos em qualquer lugar do planeta, sem custos ou gadgets atrapalhando seu caminho.”

Desde que foi comprado pelo Facebook, o WhatsApp apresenta enorme crescimento. Um ano e meio depois, em julho de 2017, o aplicativo chegou a 1 bilhão de usuários recorrendo aos serviços diariamente. Pouco tempo depois, em fevereiro de 2018, foi anunciada a marca de 1,5 bilhão de usuários mensais.

4. Mensagem visualizada, videochamadas e outros recursos

Foram várias as mudanças introduzidas no aplicativo ao longo desses anos. Entre elas, as figurinhas, os GIFs, o envio de áudios, o encaminhamento de mensagens e a conexão ao servidor web.

Uma das mais relevantes foi a funcionalidade de confirmação de visualização da mensagem. A novidade desagradou boa parte dos usuários, que alegaram danos à privacidade. Por isso, uma semana depois, o WhatsApp teve que lançar uma atualização para permitir a desabilitação da ferramenta.

Outra grande mudança foi o serviço de videochamadas. Adicionado em 2018, ele permite que você faça chamadas em vídeo com até quatro pessoas ao mesmo tempo

5. Criptografia de ponta-a-ponta

O recurso de mensagens encriptadas foi adicionado ao aplicativo em abril de 2016. O aviso aparece em cada nova conversa aberta, indicando que ninguém, nem o próprio WhatsApp, pode interceptar os textos, fotos, áudios e vídeos que os usuários trocam entre si, seja em grupos ou conversas particulares. Desde então, cada mensagem é enviada com um cadeado e apenas os interlocutores possuem a chave para destrancá-lo, sem qualquer chance de desativar o recurso.

6. WhatsApp Business

Em 2017, surgiu o WhatsApp Business, uma versão empresarial do aplicativo que fornece recursos voltado especificamente para empresas, sendo que algumas das ferramentas são pagas para companhias que lidam com grandes bases de clientes. O serviço funciona como um aplicativo separado, o que permite que pequenos empresários possam separar as suas contas pessoais das profissionais e ter as duas versões em um só aparelho.

7. Interferência eleitoral?

Em meio a eleições federais conturbadas no Brasil, a repórter Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, denunciou um esquema ilegal de disparo de mensagens via WhatsApp. A reportagem, divulgada durante o segundo turno, afirmou que empresas compraram pacotes para enviar, em massa, centenas de milhões de textos com conteúdo anti-PT. Os contratos chegavam a R$ 12 milhões e se configuravam como doação de empresas não declarada, prática proibida pela legislação eleitoral.