Últimas Notícias > Notícias > Brasil > “Reforma administrativa vai demorar um pouquinho mais ainda”, afirma Bolsonaro

WhatsApp, Facebook e Instagram enfrentam instabilidade no Brasil

Facebook terá que esclarecer ao governo se transcreveu áudios de brasileiros. (Foto: Reprodução)

Usuários de WhatsApp, Facebook e Instagram relataram dificuldades para usar esses aplicativos no Brasil no fim da tarde desta quinta-feira (16). Os três pertencem ao Facebook.

Por volta das 19h, a situação voltou ao normal, com usuários relatando o retorno das redes sociais.

O Facebook disse, por meio de um porta-voz que o problema foi identificado e resolvido. “Hoje mais cedo, uma questão de conexão na América Latina fez com que algumas pessoas tivessem dificuldade em acessar os serviços do Facebook. Rapidamente investigamos e restauramos os serviços. Estamos funcionando 100%”, disse o porta-voz.

Segundo o site Down Detector, que recebe reclamações de mau funcionamento de redes sociais, as queixas foram reportadas especialmente no Brasil, em sua maioria nas regiões Sul e Sudeste, e em outros países da América do Sul, como Argentina e Paraguai.

O aplicativo de mensagens Facebook Messenger não foi afetado, enquanto o WhatsApp Web ficou totalmente indisponível para a maioria dos usuários.

Em março, os mesmos aplicativos ficaram fora do ar por algumas horas em diversos países. Na ocasião, o Facebook alegou que a falha foi causada por uma mudança de configuração em servidor. Os aplicativos ainda não se pronunciaram sobre as falhas desta quinta-feira.

WhatsApp

O aplicativo de mensagem instantânea WhatsApp informou na última segunda-feira (13) que detectou uma vulnerabilidade em seu sistema que permitiria que hackers instalassem de maneira remota um tipo de “spyware”, um software espião, para ter acesso a dados do aparelho, em alguns telefones.

A empresa confirmou em comunicado à imprensa a informação publicada horas antes pelo jornal britânico “Financial Times” e pediu a todos os 1,5 bilhão de usuários em todo o mundo que “atualizem o aplicativo para sua versão mais recente” e também mantenham seu sistema operacional atualizado “a fim de proteger contra possíveis ataques destinados a comprometer as informações armazenadas em dispositivos móveis”.

Instagram

O app Direct, que possibilita o usuário do Instagram ler suas mensagens diretas sem abrir o aplicativo principal, será encerrado. O Instagram não deu nenhum motivo para a decisão, mas informou em notificação no Direct que: “No próximo mês, o aplicativo não será mais suportado” e garantiu que as conversas serão enviados automaticamente para a rede principal sem que o usuário “precise fazer nada”.

Em comunicado enviado ao site TechCrunch, a empresa confirma que está encerrando os testes do aplicativo direto autônomo lançado no final de 2017 para iOS e Android em países como Uruguai, Chile, Turquia, Itália, Portugal e Israel, com o objetivo de competir com o Snapchat.

O Instagram nunca revelou em quantos mercados o Direct foi lançado, mas na versão iOS – que não recebia atualização desde dezembro – existia uma variedade muito maior de idiomas para a quantidade de países em que o app estava disponível.

De acordo com o levantamento feito pela SensorTower, o aplicativo nunca chegou a ser popular como sua versão principal. Estima-se em um número de 1,35 milhão de instalações em todo o mundo na App Store e no Google Play, sendo 567 mil desses usuários apenas na Turquia, seguido pela Itália, com 500 mil.

Apesar do encerramento do aplicativo, a empresa informou que continuará desenvolvendo os recursos do Direct dentro do Instagram. Testes e lançamentos de novos recursos que incluem criptografia em mensagens diretas, a capacidade de assistir a vídeos com outras pessoas e uma versão da Web do recurso de mensagem direta serão incorporados aos poucos na rede social.