Últimas Notícias > Bem-Estar > Dor na canela é lesão comum na corrida; entenda as causas e como evitar

Orla do Guaíba completa um ano como área de convívio e lazer em Porto Alegre

(Foto:Foto: Alex Rocha/PMPA)

A Orla Moacyr Scliar, mais conhecida como “Orla do Guaíba”, completa um ano de inauguração neste sábado (29). Projetado pelo arquiteto Jaime Lerner, o trecho entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias tem 1,3 quilômetro de extensão e conta com ciclovia, mirantes, quadras esportivas, ancoradouro para barcos turísticos, quatro bares e um restaurante panorâmico. O espaço se tornou um dos principais pontos de lazer da capital gaúcha, chegando a receber 60 mil pessoas por final de semana.

“A nova Orla mudou a forma dos porto-alegrenses se relacionarem com o Guaíba e rapidamente se tornou um ponto de encontro das pessoas, que usufruem a área com conforto, segurança e infraestrutura”, diz o prefeito Nelson Marchezan Júnior.

Desde a inauguração, a nova Orla recebeu também grandes eventos, que elevaram a imagem da cidade. Em novembro de 2018, o evento Heineken Experience F1 reuniu 70 mil pessoas e transformou o trecho em uma pista de Fórmula 1. Em janeiro de 2019, a Niantic realizou o primeiro Safari Zone da América Latina do jogo Pokemon Go e reuniu 30 mil pessoas. A Orla também foi palco para o réveillon 2018/2019, com a presença de 140 mil pessoas. Além de abrigar corridas e o carnaval de rua da cidade.

Em um ano, a Orla foi adotada pela iniciativa privada e foram instaladas 38 câmeras de videomonitoramento e um posto da Guarda Municipal, além de quatro bares e um restaurante que passaram a operar no local. “Tive a honra de fazer parte dessa história, acompanhando a obra e reunindo em meu gabinete secretários e técnicos das mais diversas áreas da prefeitura ao longo dos anos de 2017 e 2018, a fim de viabilizar a conclusão da obra, a inauguração da Orla e a melhor fruição desse espaço público nos dias que se sucederiam”, frisa o vice-prefeito Gustavo Paim.

A empresa Uber do Brasil Tecnologia venceu a concorrência para adotar o espaço em agosto do ano passado. O contrato prevê limpeza geral, corte de grama, zeladoria, manutenção do piso e vigilância, com investimento de cerca de R$ 1 milhão por ano. Em fevereiro, a empresa desenvolveu o projeto Orla de Boa e ofereceu aos frequentadores viseiras sustentáveis feitas com material reciclado, recolhido da própria Orla. O projeto incluiu também aulas de ginástica e shows, envolvendo 15 mil pessoas.

Para marcar o primeiro aniversário, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (Smams) dá início, neste sábado, a uma ação de educação ambiental com nova abordagem, formatada para o público que frequenta o espaço, chamada Orla Sempre Limpa. A equipe da Unidade de Educação Ambiental (Unea) irá estabelecer diálogo com os usuários, buscando sensibilizar para a responsabilidade de cada um pelo resíduo que produz.

“A ideia é estimular as pessoas a levarem seu lixo consigo. Carregarem sacolinhas para armazená-lo e só descartar em lugar correto”, destaca o secretário Germano Bremm. A Orla conta com 56 lixeiras duplas, com capacidade para 3.360 litros de resíduos, além de dez contentores triplos, com capacidade de até 240 litros cada, instalados de forma complementar pela empresa adotante. A ação terá a hashtag #orlasemprelimpa e será desenvolvida todos os finais de semana nos próximos dois meses.

Futuro

Cinco empresas e consórcios nacionais e um internacional (Portugal) apresentaram propostas para as obras de revitalização do trecho 3 da Orla do Guaíba no último dia 21. O trecho compreende a área da foz do Arroio Dilúvio, na avenida Ipiranga, até o início do Parque Gigante. O projeto contempla quadras para prática esportiva, vestiários e a maior pista de skate da América Latina certificada pela Confederação Brasileira de Skate e pelo Comitê Olímpico Brasileiro. Prevê ainda estacionamento e três estruturas de bares idênticas às já em funcionamento no trecho 1, entre outras melhorias.

O trecho 2, por sua vez, ainda não tem projeto arquitetônico pronto. Por este motivo, a prefeitura firmou parceria com o escritório de negócios das Nações Unidas para estudar a melhor maneira de tornar a área sustentável economicamente. Trata-se de uma extensão mais curta, com espaço para shows.

Deixe seu comentário: