Últimas Notícias > Colunistas > Armando Burd > Oportunidade para não ser perdida

Ortopedista dá dicas para a escolha do melhor colchão

Foto: Reprodução/Pixabay

A escolha do colchão mais adequado ao corpo é um dos fatores para se ter uma boa noite de sono, já que em um terço de nosso dia estamos deitados em um colchão. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), uma pessoa de 71 anos, por exemplo, passou pelo menos 23 anos dormindo.

O médico ortopedista Vitor Trazz, comenta que muitas pessoas sentem dores nas costas ao se levantar de manhã ou já acordam cansadas por causa do colchão errado. Há indivíduos também que têm problemas na coluna e, nestes casos, é preciso redobrar a atenção. Por isso, a consulta a um ortopedista é sempre recomendável.

A escolha do melhor colchão, segundo o médico, também depende do tipo de cuidado que cada um precisa ter com partes do corpo que mais geram incômodos. Quem costuma sentir dores nos ombros ou nas articulações, por exemplo, deve optar por colchões mais macios. Já aqueles que precisam cuidar mais da região lombar da coluna vão se beneficiar de colchões mais rígidos, até mesmo os ortopédicos.

O ortopedista faz também um outro alerta: o colchão de mola tem uma vida útil de aproximadamente oito anos. O de espuma tem validade menor, algo em torno de quatro a cinco anos. Quando o colchão começa a ter deformidades, perdendo a forma original, é sinal de que talvez está na hora de providenciar a troca por um novo.

Deixe seu comentário: