Últimas Notícias > Capa – Você viu > O Facebook sabia de brecha em sistema de login, mas não avisou usuários

Os assassinatos tiveram uma queda de 24% no primeiro trimestre deste ano no Brasil

O País teve 3,2 mil mortes violentas a menos em janeiro, fevereiro e março deste ano em relação a 2018. (Foto: Tânia Rego/ABr)

O Brasil registra uma queda de 24% nas mortes violentas no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. É o que mostra o índice nacional de homicídios criado pelo portal de notícias G1, com base nos dados oficiais dos 26 Estados e do Distrito Federal

Isso quer dizer que o país teve 3,2 mil mortes violentas a menos em janeiro, fevereiro e março deste ano em relação a 2018. O número de assassinatos, porém, continua alto.

A tendência de queda nos homicídios do País foi antecipada pelo G1 no balanço dos dois primeiros meses do ano, que apresentaram redução de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, e no balanço das mortes violentas de 2018, que teve a maior queda dos últimos 11 anos da série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com 13%.

De acordo com o novo levantamento, houve 10.324 mortes violentas no primeiro trimestre deste ano. Apenas o Paraná não informa os dados deste intervalo de tempo. Já no mesmo período de 2018, houve 13.552 assassinatos – também desconsiderando o Paraná, para que seja feita a comparação.

O governo do Paraná informa que os números de janeiro, fevereiro e março ainda estão sendo tabulados para posterior divulgação. O levantamento faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Os dados apontam que:

houve 3.228 mortes a menos no 1º trimestre de 2019;

todos os estados do país apresentaram redução de assassinatos no 1º trimestre;

quatro Estados tiveram quedas superiores a 30%: Ceará, Amapá, Sergipe e Rio Grande do Norte;

em números absolutos, o Estado com a maior redução foi o Ceará, com 691 vítimas a menos.

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, disse que “ainda é cedo para fazer qualquer comemoração”. “Temos que ver se é uma tendência permanente ou algo episódico. Mas é um bom começo. A violência que leva a esse número absurdo de assassinatos é a mesma violência que vitima os policiais em serviço”, afirmou, em evento no Rio de Janeiro na noite desta segunda (13). Ele voltou a defender o projeto anticrime enviado ao Congresso. “O projeto tem medidas simples, efetivas e eficazes contra o crime organizado.”

Ceará: a maior redução

Assim como no balanço do primeiro bimestre deste ano, o Ceará teve a maior queda no número de mortes violentas do País: 56%. O Estado teve 546 assassinatos no primeiro trimestre de 2019, contra 1.237 no mesmo período do ano passado.

Em janeiro, o Ceará teve centenas de ataques coordenados por facções criminosas por conta de medidas anunciadas no governo para tornar a fiscalização nos presídios mais rígidas. Por isso, para o pesquisador Luiz Fábio Paiva, do Laboratório de Violência da Universidade Federal do Ceará (UFC), o que houve no estado foi “um regime de não conflito” entre as facções criminosas.

Deixe seu comentário: