Últimas Notícias > Colunistas > Fatos históricos do dia 12 de dezembro

Os astronautas que sobreviveram a um pouso forçado da nave espacial voltarão ao espaço no ano que vem

Lançamento do Soyuz foi marcado por falha mecânica que obrigou tripulantes a realizarem descida balística. (Foto: Reprodução)

O astronauta americano Nick Hague e o cosmonauta Alexei Ovchinin, que sobreviveram a um pouso forçado da cápsula espacial Soyuz na quinta-feira (11), irão embarcar para a Estação EspacialInternacional no primeiro semestre do ano que vem, informou Dmitry Rogozin, diretor da agência espacialrussa (Roscosmos).

Por medida de segurança, todos os lançamentos espaciais tripulados foram suspensos até que as causas do incidente sejam reveladas. Rogozin ordenou a criação de uma comissão para investigar o fato. O Comitê Investigativo da Rússia também abriu uma investigação criminal.

Na quinta-feira (11), Hague e Ovchinin embarcaram numa cápsula Soyuz para MS-10 que os levariam para a Estação EspacialInternacional, mas cerca de dois minutos após o lançamento os propulsores do foguete falharam. Após o defeito, a cápsula se separou do foguete e retornou em “modo de descida balístico, com ângulo de aterrissagem mais agudo que o normal”. Apesar do susto, os dois não se feriram no procedimento de emergência.

Este foi o primeiro problema grave numa missão tripulada da Soyuz desde 1983, quando a tripulação escapou por pouco de uma explosão da torre de lançamento. Agora, a Rússia terá que comprovar a segurança da cápsula para se manter como o veículo de transporte para a Estação EspacialInternacional, no momento em que empresas privadas, como a SpaceX e a Boeing, desenvolvem espaçonaves para esta finalidade.

De acordo com a agência de notícias russa Interfax, uma fonte envolvida nas investigações informou que a suspeita é que uma importante válvula não tenha aberto corretamente por causa de uma falha no cartucho de ignição. Isso teria impedido a separação do primeiro estágio do segundo estágio do foguete.

Sergei Krikalev, funcionário Roscosmos, afirmou na sexta-feira (12) que uma missão não tripulada para a Estação EspacialInternacional também deve ser adiada. O cargueiro Progress, que leva alimentos e outros suprimentos ao espaço, usa o mesmo sistema de foguetes que a Soyuz. Mesmo com o atraso, os astronautas a bordo da Estação EspacialInternacional não devem enfrentar problemas, pois a comida estocada deve durar até abril do ano que vem.

Estão na Estação EspacialInternacional a americana Serena M. Auñón-Chancellor, o alemão Alexander Gerst e o russo Sergey Prokopyev. Eles viajaram para o espaço em junho, e deveriam retornar em dezembro. Por causa do incidente com a Soyuz, não há previsão para o retorno.

Deixe seu comentário: