Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Gina Haspel tomou posse como primeira mulher no comando da CIA, a agência de inteligência americana

Os carros voadores não serão apenas para os ricos, disse o CEO da Uber

Tecnologia revoluciona o setor de transportes. (Foto: Reprodução)

O CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, deu pistas sobre o futuro da empresa. Além de conectar motoristas a passageiros, o seu aplicativo deve evoluir para uma solução de transporte mais abrangente para cidades. Fora os carros voadores que a companhia já desenvolve e almeja oferecê-los a uma parcela significativa da população das grandes cidades em poucos anos, não somente para os ricos, a meta é a de transformar sua plataforma digital em uma central para que as pessoas possam encontrar bicicletas, ônibus e carros para alugar.

“Uma coisa que eu percebi rápido é que o futuro da Uber não seria apenas com carros. No fim das contas, teríamos que expandir nosso escopo para uma mobilidade mais ampla”, afirmou Khosrowshahi, em entrevista ao site americano The Verge.

O CEO conta que, em sua visão, é preciso acertar primeiro o modelo dos carros e que ainda faz ajustes para deixar melhores recursos como o Uber Pool–quando duas ou mais pessoas, desconhecidas entre si, compartilham uma viagem por estarem indo para destinos semelhantes. Apesar de se dizer preocupado com o fato de que os usuários podem se sentir confusos ao ver tantas opções diferentes de transporte no aplicativo, ele não disse se tem a pretensão de lançar apps separados para cada serviço de mobilidade urbana diferente.

Carros voadores

Com projetos ousados de colocar carros voadores em fase de testes em 2020 e de lançar esse serviço de transporte em 2023, Khosrowshahi declarou que seus parceiros estão se esforçando para conseguir iniciar os testes dentro de dois anos.

Quem pensa que os carros voadores serão muito caros, do tipo de produto voltado apenas para a camada mais rica da população, pode estar enganado. A Uber tem a expectativa de que seus esforços, junto aos das companhias parceiras no projeto, sejam suficientes para oferecer esse tipo de transporte como algo economicamente viável para um número “significativo” de habitantes de grandes cidades que, hoje, precisam se locomover com carros.”Estamos construindo um roteiro para a adoção em massa”, disse o CEO da Uber.

Entrega de comida por drone em menos de 30 minutos

A Uber Technologies planeja entregar alimentos com drones em San Diego, nos Estados Unidos, como parte de um amplo programa de testes comerciais aprovado pelo governo federal na semana passada, disse o CEO Dara Khosrowshahi.

Khosrowshahi disse que as pessoas poderão esperar entregas de alimentos de cinco a 30 minutos, dependendo se o serviço por feito por um drone ou por um humano. “Aperte um botão e receba sua comida na sua porta”, disse. A Uber é atualmente a maior empresa de entregas de alimentos do mundo, disse Khosrowshahi à plateia, durante entrevista à Bloomberg no palco de uma conferência da Uber, em Los Angeles.

O Departamento de Transporte dos EUA informou que escolheu 10 governos estaduais, locais e comunitários e um grupo de empresas, incluindo Alphabet, FedEx, Intel, Qualcomm e Uber, para trabalharem juntas em testes de drones comerciais.

A entrega de hambúrgueres por meio de drones foi um dos vários tópicos abordados por Khosrowshahi durante a entrevista, na conferência da empresa sobre carros voadores, a Uber Elevate. O CEO contou que quando entrou na Uber, no ano passado, era cético em relação ao programa de carros voadores, mas que depois decidiu apoiar o empreendimento futurista. “A Uber não pode se limitar aos carros”, disse. “Precisamos nos concentrar na mobilidade.”

A Uber não está construindo carros voadores por conta própria. Em vez disso, está fechando parcerias com empresas, juntamente com órgãos do governo como a Nasa e o Exército dos EUA, com a esperança de que os programas-piloto comecem em 2020.

A conversa sobre carros voadores — que estão a muitos anos de distância de transportar clientes de verdade, se é que algum dia o farão — oferece uma distração em relação ao programa de carros autônomos da Uber, que passa por dificuldades. Os testes continuam parados desde março, quando um de seus veículos autônomos atingiu e matou uma pedestre em Tempe, Arizona, nos EUA.

Khosrowshahi disse que a expectativa é de que a Uber retome os testes “nos próximos meses”, assim que o Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos EUA (NTSB, na sigla em inglês) concluir sua investigação. Ele disse que a Uber está cooperando com o inquérito.

Khosrowshahi também enfatizou o compromisso da Uber com as bicicletas elétricas após a aquisição da Jump Bikes, no mês passado. A empresa concorre com várias startups apoiadas por capital de risco que oferecem serviços similares de aluguel de bicicletas e scooters em cidades usando aplicativos. “Se existe a conjunção de condições econômicas e tecnologia, nosso apetite para investir é infinito”, disse.

Deixe seu comentário: