Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Homem armado faz reféns em ônibus na Ponte Rio-Niterói; 16 pessoas ainda estão sendo feitas de réfens 

Filhos saindo de casa: e agora? Especialistas dão dicas para não sofrer com a Síndrome do Ninho Vazio

Alguns pais passam por este problema quando os filhos saem de casa. (Foto: Reprodução)

A ausência dos filhos costuma afetar mais a mãe, que tradicionalmente se encarrega de cuidar das crias. Quando as crianças crescem e saem de casa, há uma sensação de “perda da maternidade”, já que os filhos vão passar a se cuidar sozinhos.

“A saída dos filhos de casa é marcante e vai implicar numa reorganização familiar, principalmente se os pais ainda forem um casal. Essa saída pode ser vivenciada com mais ou menos sofrimento dependendo de como os pais lidam com perdas e separações”, afirma a psicóloga clínica Raquel Veloso, que tem experiência em terapia de família.

A reorganização familiar que será necessária com a saída dos filhos pode colocar em xeque, por exemplo, casamentos que tenham se mantido por conta da criação das crianças.

“Enquanto os pais não se conscientizam sobre este novo ciclo que está começando na família, o sofrimento pode até se postergar. Mas aí já é o caso de pedir ajuda profissional”, indica Michele.

Para elaborar melhor a saída da filha de casa, Carla voltou a fazer sessões de terapia, que segundo ela, a ajudaram nesse processo de separação.

Chance de começar algo novo na vida

Cerca de um ano e meio depois de ir morar sozinha, Carol se casou e recebeu uma proposta para trabalhar em São Paulo. A distância da mãe, que até então era de 20 minutos de carro, virou uma ponte aérea. Mas a saída da filha foi um empurrão para Carla começar uma nova vida. Por sugestão de Carol, a empresária abriu uma empresa de bolos e doces. Em 2017, casou-se de novo.

“Os pais precisam ver este momento como uma oportunidade de fazer atividades diferentes, de viajar, de colocar em prática algo que deixaram para trás quando passaram a cuidar dos filhos. É um momento de tristeza, mas também de renovação, de recomeço”, finaliza a psicóloga Roseana Ribeiro, especialista em motivação comportamental.

Amenize o sofrimento

Viva o “luto”

A saída dos filhos de casa gera uma tristeza nos pais e isto é normal. É preciso viver este momento para que mais tarde isto não se transforme em uma dor maior. Chore quando sentir vontade de chorar, não há problemas nisso

Entenda o ciclo

Assim como você um dia saiu da casa dos seus pais, seus filhos também vão sair da sua. Este é o ciclo natural da vida e aceitá-lo vai deixar este processo menos complicado para todo mundo. Você criou seus filhos para voarem, deixe que eles voem!

Mantenha o diálogo

Este é um momento de mudança para todo mundo. Mantenha-se à disposição para conversar com seus filhos sobre estas transformações. A relação de pais e filhos não vai morrer, vai apenas mudar de formato: pais continuam sendo pais, e filhos continuam sendo filhos

Tire seus planos do papel

Se você viveu toda a sua vida em prol dos seus filhos, esta é a oportunidade de fazer algo que você goste, que vá te dar prazer. Que tal tirar um plano da gaveta e colocá-lo em ação? Aproveite este tempo para desenvolver uma nova atividade, conhecer pessoas novas. A prioridade agora é você

Aplique seu amor

Adotar um animal de estimação ou passar a fazer um trabalho voluntário podem ajudar a canalizar todo aquele amor que você tem pelo seu filho e não pode expressar diariamente

Busque ajuda

Caso o sofrimento seja muito intenso e paralisante, procure ajuda profissional. A terapia vai auxiliar no processo de aceitação desta nova etapa da sua vida e contribuir para a realização das dicas anteriores

Deixe seu comentário: