Domingo, 15 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Partly Cloudy

CAD1 Os jogadores brasileiros foram os que movimentaram mais dinheiro em transferências em 2018

O futuro de Philippe Coutinho parece cada vez mais longe do Barcelona. (Foto: Reprodução)

Um relatório divulgado pela Fifa (entidade máxima do futebol mundial) nesta semana reforça o protagonismo dos jogadores brasileiros no mercado de transferências internacionais. Em 2018, eles estiveram envolvidos em 1.753 operações de compra e venda, mais do que qualquer outra nacionalidade. Também movimentaram aproximadamente 1,1 bilhão de dólares (cerca de R$ 4 bilhões) — o equivalente a uma fatia de 15% do mercado.

Quando destrinchadas as transferências, destaca-se o fluxo de jogadores entre Brasil e Portugal. Esse movimento luso-brasileiro aconteceu 205 vezes no ano passado, entre saída e chegada de atletas.

De acordo com o relatório da Fifa, o número total de operações envolvendo jogadores brasileiros teve uma ligeira queda em relação a 2017 , quando chegou a 1.755 transferências . O valor nominal, no entanto, foi superior: em 2017, os atletas do Brasil movimentaram U$ 1,06 bilhão no mercado.

Os jogadores brasileiros vêm liderando o volume de transferências internacionais desde 2014, quando a Fifa passou a divulgar o seu Relatório do Mercado Global de Transferências. O Brasil apareceu em todos os anos como a nacionalidade mais envolvida em transferências.

Além disso, os clubes brasileiros têm quase sempre liderado as estatísticas de mais compras e mais vendas de atletas. Uma exceção ocorreu em 2015, quando os clubes da Inglaterra trouxeram 649 atletas, contra 624 do Brasil. Naquele ano, 774 atletas deixaram clubes brasileiros, bem mais do que os 687 que se transferiram de equipes inglesas rumo ao exterior.

Em 2018, segundo o relatório da Fifa, os clubes brasileiros completaram 677 chegadas de jogadores vindos de clubes do exterior, e mandaram 832 atletas para o exterior. Esta quantidade de atletas que partiram do Brasil para o mercado internacional é a maior desde que o relatório começou a ser desenvolvido.

Já o número de chegadas de atletas do exterior para clubes brasileiros em 2018 não superou a marca de 2017, quando houve 748 transferências para dentro do Brasil.

Clubes são coadjuvantes

Quando o assunto é o investimento dos clubes, porém, naturalmente o futebol brasileiro está muito atrás das grandes ligas europeias. O Big 5 — do qual fazem parte Inglaterra, Espanha, Itália, Alemanha e França — lidera o ranking de investimento em compra de atletas. Nesta lista, os clubes brasileiros estão apenas em 18º, também atrás de China, Arábia Saudita, Argentina e México e outros mercados periféricos.

Na hora de vender, porém, as equipes brasileiras se mostram mais lucrativas. Estão em sétimo lugar, depois do Big 5 e dos portugueses.

 

Voltar Todas de CAD1

Compartilhe esta notícia:

Assume a nova administração da Assembleia Legislativa do RS
Guia de bordo: como não fazer feio na primeira vez em um cruzeiro
Deixe seu comentário
Pode te interessar