Últimas Notícias > Notícias > Brasil > A inflação para o consumidor avançou na terceira semana de junho

Os representantes dos caminhoneiros apresentaram uma nova proposta para a tabela mínima de frete

A tabela com preços mínimos para o frete foi uma das demandas dos caminhoneiros para que a categoria encerrasse a greve. (Foto: Divulgação)

Representantes da Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros) e da Fecam (Federação dos Caminhoneiros Autônomos) apresentaram nesta terça-feira (12) uma nova proposta de tabela mínima de frete à ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres). As informações são do portal de notícias G1.

O teor da proposta não foi divulgada pela ANTT.

A tabela com preços mínimos para o frete foi uma das demandas dos caminhoneiros para que a categoria encerrasse a greve que durou quase duas semanas em maio. A paralisação afetou o abastecimento de produtos no País todo.

Dias depois de o governo apresentar uma primeira proposta de acordo com os caminhoneiros, a ANTT publicou, por meio de medida provisória, uma primeira tabela com os valores de frete.

A tabela, porém, foi criticada, especialmente pelo setor de agronegócio, que afirmou que a medida feria a livre concorrência. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, chegou a dizer que, em alguns casos, a tabela fez o valor do frete cobrado mais do que dobrar de valor.

Com a repercussão negativa, a ANTT divulgou na semana seguinte uma segunda tabela, distribuindo os preços para todo tipo de caminhão, quantidade de eixos e o valor do quilômetro por eixo.

No entanto, horas depois, a agência informou que revogaria a tabela após a reação de caminhoneiros, que discordaram dos valores. Foi aberta, então, uma nova rodada de negociações para elaborar uma terceira tabela, mas ainda não há consenso. Na prática, a primeira tabela é a que está valendo no momento.

Em nota divulgada nesta terça-feira, após o encontro com os caminhoneiros, a ANTT informou que “segue empenhada em encontrar uma solução que harmonize os interesses de produtores, transportadores e sociedade”.

“Nesta tarde de terça-feira, representantes da Abcam e a Fecam estiveram reunidos com técnicos da ANTT e deixaram uma proposta em relação à tabela mínima de frete. Este documento agora será analisado pela Agência. A ANTT reitera que permanece em constante diálogo com as lideranças dos caminhoneiros e do setor produtivo de todo o país, para avaliar os ajustes na tabela frete”, informou a agência.

Supremo

A tabela com preços mínimos para o frete é alvo de uma ação no Supremo Tribunal Federal para que a medida seja suspensa.

O relator do caso, ministro Luiz Fux, decidiu aguardar a negociação entre governo e empresas de transporte de carga antes de decidir sobre pedido para suspender a medida provisória.

Deixe seu comentário: