Últimas Notícias > Notícias > A “Primavera dos Museus” agita a programação cultural de Porto Alegre nesta semana

Países vizinhos do Brasil se mobilizam para conter incêndios da Amazônia

Novo Progresso foi um dos municípios onde houve maior número de focos de incêndios na Amazônia. (Foto: Greenpeace)

Os países da América do Sul que compartilham com o Brasil parte da Floresta Amazônica estão adotando medidas para tentar conter os incêndios que se espalham por seus territórios. As chamas estão ameaçando a mais importante floresta tropical do mundo e também outros biomas, como o Cerrado e o Pantanal.

Colômbia
O governo colombiano ofereceu ajuda ao Brasil nessa quinta-feira (22) para tentar conter o avanço das chamas em território brasileiro. A proposta é unir o Brasil, a Colômbia, o Equador e o Peru para que atuem juntos na prevenção e no combate de incêndios na região da Amazônia.

Equador
Em sua rede oficial do Twitter, o presidente do Equador, Lenin Moreno, afirmou já ter conversado com o presidente Jair Bolsonaro, e disse colocar à disposição um avião que transportaria três brigadas de especialistas em combate a incêndios florestais e em investigação ambiental. Como boa parte do território do Equador está coberto pela Floresta Amazônica, o país também enfrenta uma série de incêndios florestais nas últimas semanas.

Peru
As áreas de proteção ambiental do Peru também estão em estado de alerta. Em nota, o Ministério do Meio Ambiente do Peru afirma que, este ano, já foram registrados 16 incêndios florestais, sendo 14 em áreas naturais sob proteção. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores peruano, o país permanece atento para cooperar com ações que possam diminuir os efeitos lamentáveis das chamas.

Bolívia
O governo boliviano contratou uma empresa privada norte-americana especializada em combates a grandes incêndios, dona do maior avião-cisterna em operação em todo o mundo. Há ameaça de chamas no Parque Nacional Otuquis, região próxima à Tríplice Fronteira formada por Bolívia, Brasil e Paraguai.

Deixe seu comentário: