Últimas Notícias > Colunistas > Da arte da espada

Um passageiro proveniente do Brasil foi preso em Portugal com cocaína em nádegas falsas

Ele levava quase um quilo de cocaína. (Foto: Reprodução/ Polícia Judiciária de Portugal)

Um passageiro vindo do Brasil foi preso no aeroporto de Lisboa usando “falsas nádegas” recheadas com quase 1 quilo de cocaína, anunciou a polícia. A aduana portuguesa encontrou a droga, suficiente para preparar 5.000 doses individuais, no corpo do passageiro, indicou em nota a polícia.

O comunicado incluía fotos que mostram uma sunga colorida e duas bolsas marrons. O jornal “Publico” e outros veículos portugueses disseram que o passageiro, proveniente de Belém do Pará, tinha “falsas nádegas” sob a sunga. Ele também tinha ingerido sacos menores de cocaína, de acordo com a imprensa. Segundo a polícia, um segundo suspeito, que poderia ser o destinatário da carga, foi detido em Lisboa.

Porto de Santos

Ao menos 28 kg de cocaína foram apreendidos, na madrugada desta quarta-feira (14), prestes a serem embarcadas clandestinamente em um navio no Porto de Santos, no Litoral de São Paulo. O carregamento estava com um mergulhador, próximo a um navio com destino a Europa. O suspeito conseguiu fugir pelo mar e, até agora, não foi localizado.

O flagrante, considerado inédito, foi feito por equipes da Receita Federal e da Polícia Federal, com apoio da Polícia Militar, nas proximidades de um terminal de contêineres na Margem Direita do complexo portuário. A tentativa de embarque da droga aconteceu no MSC Meline, previsto para deixar o cais nos próximos dias.

Pela primeira vez, as equipes federais depararam-se com um mergulhador auxiliando na ação do tráfico internacional em Santos. Ele levou pelo mar uma bolsa impermeável com tabletes de cocaína que seria içada a bordo por algum tripulante. A movimentação foi frustada pelos agentes.

Ao notar a aproximação das equipes federais, o mergulhador abandonou a mala, submergiu na água e fugiu pelo mar. O material foi apreendido em seguida. A bordo do navio, durante uma vistoria, não foi encontrada qualquer indício de que havia sido embarcada mais cocaína.

As equipes não descartam outras hipóteses da modalidade de narcotráfico. Entretanto, não acreditam que o mergulhador estivesse escondendo o carregamento em algum dispositivo selado acoplado ao casco do navio – prática comum em outros portos do mundo para despistar a polícia.

Em maio de 2017, pela primeira vez, um dispositivo “porta drogas” foi encontrado preso ao casco de um navio atracado em um terminal da Margem Esquerda do cais, em Guarujá (SP). Na ocasião, foram apreendidos mais de 33 kg de cocaína depois que a peça foi retirada.

Nesta madrugada, a droga encontrada boiando no mar foi levada para a Delegacia da Polícia Federal, no Centro de Santos. O material foi apreendido e pesado. As equipes agora iniciam investigação para identificar envolvidos, origem e o destino do carregamento ilícito interceptado.

 

 

Deixe seu comentário: