Últimas Notícias > Esporte > Fora de casa, o time alternativo do Inter enfrenta neste domingo o Goiás pelo Campeonato Brasileiro

Pelé continua em observação na França, sem previsão de alta

A saúde de Pelé tem sido motivo de preocupação nos últimos anos. (Foto: Rener Pinheiro/CBF)

O ex-jogador Pelé, hospitalizado perto de Paris desde a última quarta-feira (03), continua em observação neste domingo (07), ainda sem previsão de alta, segundo informações passadas por sua assessoria. Ele está internado no Hospital Americano, em Neuilly sur Seine (a oeste de Paris), para tratar uma infecção urinária.

A instituição não divulgou qualquer boletim médico sobre o estado de Pelé, que se sentiu mal horas depois de um evento promocional ao lado do atacante francês Kylian Mbappé, em um hotel da capital francesa. A previsão inicial era que ele deixasse o hospital na sexta-feira (05). Nesse dia, o ex-atleta escreveu nas redes sociais para agradecer o carinho recebido dos fãs e disse estar reagindo bem aos antibióticos.

“Muito obrigado por todo o amor! Eu estou me sentindo muito melhor e acho que estou pronto para jogar de novo!”, brincou. Pelé já havia sido internado com infecção urinária em 2014, depois de ter passado por uma cirurgia de cálculos renais. Por causa da internação, o ex-atacante cancelou sua participação em um evento da Universidade Harvard no qual seria homenageado neste domingo.

Passou mal após evento

Pelé foi internado pouco depois de ter se encontrado com o atacante Kylian Mbappé, do Paris Saint-Germain, em um evento de um patrocinador em comum. De acordo com a rádio francesa RMC Sport, o ex-jogador, de 78 anos, ídolo do Santos e da seleção brasileira, sentiu uma crise de tetania durante a noite e, por precaução, foi transportado de seu hotel para um hospital, onde ainda está.

Tetania provoca formigamento e adormecimento das extremidades do corpo, além de contrações de músculos. A crise pode provocar sudorese (transpiração excessiva) e vômitos. A rádio francesa informou que o staff de Pelé declarou que o caso não é grave.

O evento que Pelé teve com Mbappé estava programado para o ano passado, mas teve de ser adiado por problemas de saúde do brasileiro. Na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, ele abriu mão da honra de acender a pira olímpica por problemas de mobilidade.

Mais tarde, em dezembro de 2017, no sorteio da Copa do Mundo de 2018, em Moscou, na Rússia, Pelé participou do evento em uma cadeira de rodas por causa de dores no quadril. Em novembro de 2014, ele passou por tratamento intensivo após uma infecção urinária.

Deixe seu comentário: