A Petrobras vai elevar o preço da gasolina em 1,6% neste sábado

Anúncio foi feito pela Petrobras nesta sexta-feira. (Foto: AE)

A Petrobras vai subir em 1,6% o preço da gasolina e reduzir do diesel em 1,2% nas refinarias a partir deste sábado, dia 12.

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.

Descoberta

Na quinta-feira (10) a Petrobras informou a descoberta de acumulação de petróleo no pré-sal da Bacia de Campos, localizada na área do Campo de Marlim Sul.

Segundo a empresa, esta é a primeira descoberta comercial de petróleo no pré-sal da área de Marlim Sul. A descoberta ocorreu durante a perfuração do poço 6-BRSA-1349-RJS (nomenclatura ANP) / 6-MLS-233-RJS (nomenclatura Petrobras), informalmente conhecido como Poraquê Alto, com profundidade final de 4.568m.

O poço que identificou a descoberta está localizado a 115 km da costa do Estado do Rio de Janeiro, em profundidade d’água de 1.107m.

A descoberta foi confirmada por meio de dados de perfis, detector de gás, testes de formação a cabo e amostras de fluido. A análise dos dados atuais indica reservatórios carbonáticos com boas características de porosidade e permeabilidade, a 4.420m de profundidade e 45m de espessura com óleo.

Esse resultado, diz a nota da Petrobras, demonstra o potencial de novas descobertas em bacias maduras, com infraestrutura de produção já implantada.

Segundo Solange Guedes, diretora de Exploração e Produção da Petrobras, descobertas na Bacia de Campos são “extremamente rentáveis por estar em uma área com extensa infraestrutura”.

A produção na Bacia de Campos está em declínio. No primeiro semestre deste ano, caiu 6% em relação ao mesmo período de 2016. De 1,352 milhão de barris por dia para 1,272 milhão de barris por dia.

A queda da produção em Campos vem sendo compensada pelo crescimento da Bacia de Santos, onde está a maioria dos campos do pré-sal. A área do pré-sal responde hoje por 51% da produção da companhia, somando 1,35 milhão de barris por dia.

Plataformas foram anunciadas em junho

Em junho deste ano a Petrobras anunciou que planeja instalar quatro novas plataformas na Bacia de Campos nos próximos anos. A primeira deve ser o FPSO Cidade de Campos de Goytacazes, para produção de petróleo nos campos de Tartaruga Verde e Tartaruga Mestiça. Além dela, estão previstas duas novas unidades no campo de Marlim e uma no pré-sal da concessão de Albacora.

“A ideia é que, com a revitalização de Marlim, a gente consiga produzir até 2052 neste campo”, informou o gerente da área de Projetos Complementares da Bacia de Campos, Mauro Destri, à época.

Segundo o gerente, o projeto de revitalização de Marlim é uma apostas para reduzir o declínio natural da produção nesta bacia. Conforme Destri, o declínio estável da Bacia de Campos está em torno de 9%, enquanto a média mundial está em 12%. “Estamos há 40 anos descobrindo, desenvolvendo, produzindo e trazendo unidades novas na Bacia de Campos, afirmou.

Há também outros processos já em curso para a extensão do prazo de concessão de demais campos na Bacia de Campos. “O declínio natural dos campos maduros é algo controlado e com a possibilidade até de regressão em alguns momentos, o que nos dá uma segurança de uma Bacia de Campos produzindo por muito mais tempo”, destacou Destri na ocasião. (AE/AG)

Deixe seu comentário: