Últimas Notícias > Notícias > Mundo > O Uruguai tem falta de maconha: a produção não é suficiente para abastecer os mais de 47 mil consumidores registrados

PF prende quatro suspeitos de hackearem celular de Sérgio Moro

De acordo com o ministro Sérgio Moro, o objetivo é enfraquecer as facções criminosas.(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

A Polícia Federal cumpriu, nesta terça-feira (23), quatro mandados de prisão temporária. As prisões feitas foram de suspeitos de terem invadido telefones de autoridades, incluindo o do ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o do procurador Deltan Dallagnol.

A operação foi denominada Spoofing, que significa ‘falsificação tecnológica’, e  visa enganar uma rede ou uma pessoa, passando-se por uma fonte confiável, quando na verdade não é. O objetivo da operação é desarticular uma organização criminosa que pratica crimes cibernéticos.

Os nomes dos quatro suspeitos não foram divulgados até o momento. A PF confirmou apenas que supostos hackers foram detidos nas cidades de Araraquara, São Paulo e Ribeirão Preto. As buscas foram autorizadas pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara da Justiça Federal, em Brasília.

Nesta terça-feira (23), o ministro da Economia, Paulo Guedes, também teve seu celular invadido, e a PF irá investigar o caso.

Leia na íntegra a nota divulgada pela Polícia Federal:

A Polícia Federal deflagrou, na manhã de hoje (23/07), a Operação spoofing* com o objetivo de desarticular organização criminosa que praticava crimes cibernéticos.

Foram cumpridas onze ordens judiciais, sendo sete Mandados de Busca e Apreensão e quatro Mandados de Prisão Temporária, nas cidades de São Paulo/SP, Araraquara/SP e Ribeirão Preto/SP.

As investigações seguem para que sejam apuradas todas as circunstâncias dos crimes praticados.

As informações se restringem às divulgadas na presente nota.

Deixe seu comentário: