Últimas Notícias > Notas Capital > Trincheira da Anita deve estar pronta em 45 dias

Polícia Federal deflagra operação para apurar vazamento na prova de Redação do Enem

Weintraub chegou a afirmar que um aplicador da prova teria sido responsável pelo vazamento. (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

A PF (Polícia Federal) deflagrou uma operação neste sábado (9) para apurar vazamentos na prova do Enem aplicada no fim de semana passado. Duas aplicadoras de provas de Fortaleza são suspeitas de irregularidades no caso e foram alvos da operação.

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, autorizados pela 12ª Vara Federal de Fortaleza, nas residências dessas duas aplicadoras do Enem, que tiveram seus celulares apreendidos. Os nomes delas não foram divulgados.

Segundo a PF, elas foram identificadas após um trabalho de investigação e cooperação feito em cooperação com o Inep, órgão do Ministério da Educação responsável pelas provas. A PF ainda está investigando outros casos de possíveis vazamentos, no Rio e na Bahia.

A foto de uma página da prova, com a proposta da redação, circulou pela internet no fim de semana passado, durante a aplicação do exame. O ministro da Educação Abraham Weintraub afirmou na ocasião que um aplicador da prova teria sido responsável pelo vazamento.

Segundo a PF, as duas suspeitas podem ser indicadas pelo crime de fraude em certames de interesse público, previsto no Código Penal, e que pode ter pena superior a cinco anos de prisão devido à gravidade do caso.

O nome da operação, Thoth, se refere ao deus egípcio da escrita e da sabedoria. Os egípcios acreditavam que ele criara os Hieróglifos (caracteres utilizados para a escrita no Egito antigo). Thoth era também conhecedor da matemática, astronomia, magia e representava todos os conhecimentos científicos, o que traduz o universo em que estão envolvidos os candidatos do Enem.