Últimas Notícias > Notícias > Política > Rede de academias já conta oito clientes presos na Operação Lava-Jato

Polícia Federal prende ex-governador do Tocantins

O caso foi um dos fatos destacados pelo Ministério Público Federal para pedir a prisão de Marcelo Miranda (foto), seu pai, Brito Miranda, e seu irmão, Brito Júnior. (Foto: Agência Senado)

O ex-governador de Tocantins, Marcelo Miranda (MDB), foi preso nesta quinta-feira (26). Ele é investigado por corrupção e foi preso pela PF em Brasília, no apartamento funcional da esposa, a deputada Dulce Miranda (MDB). Ela não é investigada. Em Palmas (TO), a PF também cumpre um mandado de busca e apreensão na casa de Miranda.

A prisão preventiva do ex-governador foi autorizada pela 4ª Vara Federal de Palmas. Esta já é a segunda ação da PF para investigar Marcelo Miranda. Na quarta-feira (24), durante uma operação, a polícia prendeu um casal suspeito de ser laranja de Miranda para o registro de imóveis e veículos.

A defesa do ex-governador informou que “a princípio não há fatos que justifiquem o pedido de prisão”, mas vai se posicionar somente após ter acesso à decisão.

O objetivo da operação desta quinta-feira é desarticular uma organização criminosa suspeita de atos de corrupção, peculato, fraudes em licitações, desvios de recursos públicos, recebimento de vantagens indevidas, falsificação de documentos e lavagem de capitais constantes.

Marcelo Miranda foi eleito governador do estado do Tocantins três vezes, sendo cassado duas vezes. Ele governou o estado entre os anos de 2003 e 2009 e 2015 e 2018. A última cassação ocorreu por causa de um avião apreendido em Goiás com material de campanha e R$500 mil ligados a campanha do ex-governador em 2014. Ele também foi eleito senador da República, mas não pôde assumir porque foi considerado inelegível.