Home > Notícias > Brasil > Lula lidera pesquisa de intenções de voto para a eleição presidencial de 2018, aponta o Datafolha

Primeira-ministra britânica trata como terrorismo o atropelamento que matou uma pessoa e feriu dez em Londres

Van avançou sobre fiéis que deixavam uma mesquita. (Foto: Reuters)

A primeira-ministra britânica, Theresa May, referiu-se ao atropelamento que terminou com uma pessoa morta e dez feridas perto de uma mesquita em Londres como atentado terrorista. Na madrugada desta segunda-feira (19), um homem jogou uma van sobre um grupo de muçulmanos em Finsbury Park, no norte da cidade. Ele foi contido pela população e preso em seguida.

May afirmou que o suspeito, de 48 anos, que não teve a identidade divulgada, atuou sozinho. “Esta manhã, nosso país acordou com notícias de outro ataque terrorista nas ruas da nossa capital: o segundo deste mês e tão doentio quanto aqueles que vieram antes”, disse ela. “Mais uma vez, o agressor visou inocentes em seu dia a dia.”

O motorista jogou o carro sobre fiéis que deixavam uma mesquita à 0h20min (horário local, 20h20min de domingo em Brasília). Durante o Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos, os fiéis jejuam do alvorecer até o anoitecer e costumam rezar até a madrugada.

Dos dez feridos, dois foram atendidos no local com ferimentos leves e oito foram hospitalizados. Dois estão internados em estado grave, segundo a polícia. Todas as vítimas são muçulmanas. Um homem que já recebia atendimento no local antes do atropelamento morreu e a polícia ainda não sabe dizer se a morte foi provocada pelo choque com a van.

“O ataque ocorreu quando o homem já estava recebendo primeiros socorros no local. Infelizmente esse homem morreu. Qualquer ligação causal entre sua morte e o ataque fará parte da investigação. Mas é muito cedo para dizer se a sua morte foi resultado desse ataque”, afirmou Basu.

Abdul Rahman, que ajudou a deter o suspeito, disse que ele afirmou que queria “matar todos os muçulmanos”. A polícia não divulgou a identidade do suspeito detido, mas informou que se trata de um homem de 48 anos que foi levado para um hospital para uma avaliação de saúde mental.

Islamofobia

O Conselho Muçulmano Britânico (Muslim Council of Britain, em inglês) emitiu um comunicado em que “aparentemente, segundo relatos de testemunhas, o autor foi motivado por islamofobia”. Segundo o documento, assinado pelo secretário-geral do conselho, Harun Khan, “nas últimas semanas e meses, muçulmanos enfrentaram muitos incidentes de islamofobia, e esta foi a manifestação mais violenta até o momento”.

O grupo alerta sobre o fim do mês do Ramadã para pedir que “as autoridades aumentem a segurança do lado de fora das mesquitas urgentemente”. O prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou que policiamento extra será enviado para proteger comunidades e que o atropelamento em Finsbury Park foi um ataque nos valores de tolerância, liberdade e respeito. Sadiq Khan, que é muçulmano, chamou o atropelamento “terrível ataque terrorista”. (AG)

Comentários