Últimas Notícias > Atividades Empresariais > Curso de Engenharia Civil da IMED Porto Alegre recebe oficinas na área da mecânica e construção para mulheres

Policiais militares salvaram uma criança que se engasgou com uma espinha de peixe no litoral gaúcho

O caso aconteceu na praia de Torres, no Litoral Norte do RS. (Foto: BM/Divulgação)

Seria mais um dia comum nas férias da família Munhoz dos Santos, residente em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Praia pela manhã e, no almoço, o tradicional peixe à beira-mar da praia de Torres, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Tudo ocorria normalmente até que a pequena Manuela, de 3 anos, se engasgou com uma espinha de peixe. Os pais tentaram socorrê-la, sem sucesso, e a criança começou a perder os sentidos.

Desesperados, os pais pegaram a menina e saíram em busca por socorro. A família deparou-se com uma dupla de policiais militares da Operação Golfinho, que fazia o patrulhamento a pé na orla. O soldado Xavier, com o apoio do seu companheiro, o soldado Duarte, pegou Manuela no colo e iniciou as manobras para desobstruir as vias aéreas da criança.

Depois, eles foram até a Base Móvel Comunitária, onde estavam de serviço os soldados Sílvia e Lucca. Os brigadianos conseguiram reanimar a menina por alguns instantes, e a policial militar acalmou a criança. “Eu pedi, então, que ela abrisse a boca e mostrasse a língua, foi quando consegui visualizar e retirar a espinha de sua garganta”, relatou a soldado.

“Depois de vomitar e chorar bastante, a respiração da criança voltou ao normal, e levamos ela e seus familiares ao hospital, para ter certeza de que estava tudo certo”, relatou o soldado Duarte. O fato ocorreu na última quinta-feira (03).

O pai da menina, Jairo dos Santos, fez um agradecimento especial aos policiais militares. No sábado (05), Xavier, Duarte, Sílvia e Lucca receberam a visita de Manuela na Base Móvel Comunitária de Torres. A soldado abraçou a menina e entregou um presente dos PMs à criança. Novamente, a família agradeceu aos policiais militares por terem salvo Manu, como é chamada pela mãe, Carla Munhoz.

“O desespero no momento que ela engasgou foi tão grande que não conseguíamos raciocinar para socorrê-la. Ainda bem que nos deparamos com a Brigada, que nos tranquilizou e conseguiu reanimar a Manuela e retirar a espinha”, contou o pai.

O tenente Gilberto, responsável pela Base Móvel Comunitária em Torres, destacou o profissionalismo da guarnição e o sucesso do salvamento realizado pelos soldados. A atuação das Bases Móveis Comunitárias da Brigada Militar no litoral gaúcho começou no dia 29 de dezembro. Os motorhomes são encontrados à beira-mar com a presença de policiais e têm como objetivo o registro de ocorrências, prestação de informações e disponibilidade de pulseiras de identificação para as crianças, possibilitando a localização dos pais caso elas se percam.

Deixe seu comentário: