Últimas Notícias > Notícias > Brasil > “Não somos justiceiros, somos defensores da Constituição”, diz o ministro do Supremo Marco Aurélio sobre julgamento da prisão após a segunda instância

Porto Alegre e Região Metropolitana voltaram a enfrentar transtornos por causa de temporal

Mau tempo deve prosseguir na Capital durante a manhã desta quarta-feira. (Foto: Joel Vargas/PMPA)

Em meio ao mau tempo verificado desde o domingo desde o domingo, entre o fim da tarde e o começo da noite dessa segunda-feira Porto Alegre e Região Metropolitana voltou a enfrentar transtornos por causa da chuva, na forma de um temporal acompanhado de raios, trovoadas. Em pontos isolados chegou a ocorrer queda de granizo.

Houve alagamentos em diversas ruas e avenidas, com impacto direto sobre o já complicado trânsito da “hora do rush” na capital gaúcha. Desde o fim da tarde, a EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação) já relatava situações em avenidas como Ipiranga, Silva Só, Assis Brasil, Sarmento Leite e Presidente João Goulart.

Os motoristas também sofreram com falhas nos semáforos de avenidas como Bento Gonçalves, Antônio de Carvalho, Manoel Elias e Cristóvão Colombo. Agentes tiveram que orientar o tráfego nesses e em diversos outros pontos.

No Aeroporto Internacional Salgado Filho, houve paralisação de operações. A delegação do Athletico-PR precisou esperar no avião por quase três horas antes de desembarcar na cidade, onde decide nesta quarta-feira a Copa do Brasil contra o Inter. O grupo chegou somente por volta das 20h ao hotel, no bairro Moinhos de Vento. Para o jogo, porém, a expectativa é de tempo firme.

Granizo

Já na transição da tarde para a noite, moradores de bairros como o Santa Tereza testemunharam a ocorrência de queda de granizo. Os relatos apontam que o fenômeno durou entre 3 e 5 minutos, sendo também registrado em cidades da Região Metropolitana, tais como São Leopoldo, Novo Hamburgo e Montenegro. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a “chuva de pedra” não acarretou danos de maior dimensão. Da mesma forma, não houve registro de feridos.

Meteorologia

De acordo com os meteorologistas, a forte chuva acompanhada de raios, trovoadas e granizo foi causada por uma área de instabilidade climática, combinada à passagem de uma frente fria pelo Estado e à presença de sistemas de baixa pressão atmosférica, bem como o fluxo de calor e umidade proveniente do Norte gaúcho.

A quarta-feira inicia chuvosa na metade Norte do Rio Grande do Sul e o mau tempo deve ser acompanhado de descargas elétricas e eventual queda de granizo. O Inmt (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu alerta para chuva intensa na metade Norte do Estado, prevendo acumulados de até 30 milímetros na região durante a manhã.

À tarde, devido ao avanço de uma massa de ar seco e frio, o céu limpa e o sol passa a predominar na maioria dos municípios desta área – as exceções são as cidades mais ao extremo norte, onde a instabilidade persiste até a noite. Na Metade Sul, o tempo fica firme, sem previsão de chuva. Nesta área, o sol aparece desde as primeiras horas da manhã.

Até a sexta-feira, tal instabilidade deve se espalhar de forma mais abrangente pela Região Sul do Brasil e ganhar o reforço de uma nova frente fria. No Centro e no Leste do Rio Grande do Sul, o ar fica tende a ficar mais seco, sem risco de novas ocorrências de chuva pelos próximos dias.

Já a Serra e no Planalto, bem como todo o território de Santa Catarina e Paraná, ficam sujeitas a novas pancadas de chuva, acompanhadas de raios e ventos fortes de até 80 Km/h, com risco adicional de chuva forte e volumosa sobretudo na faixa compreendida entre o Norte do Rio Grande do Sul e o Oeste paranaense.

(Marcello Campos)