Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Senadores propuseram 78 emendas para tentar mudar o texto da reforma da Previdência antes da votação em 1º turno

Preço do petróleo despenca no mundo e caminha para a semana mais fraca em seis meses

O petróleo cedeu juntamente a outros mercados globais. (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

Os preços do petróleo despencaram nesta quinta-feira (23), perdendo cerca de 5%, conforme tensões comerciais reduziram a perspectiva de demanda, colocando os valores de referência no caminho para suas maiores quedas diárias e semanais em seis meses.

O petróleo cedeu juntamente a outros mercados globais, com o crescimento das preocupações de que o conflito comercial entre Estados Unidos e China estaria rapidamente se tornando uma guerra fria tecnológica entre as duas maiores economias do mundo.

Embora a guerra comercial seja o principal temor em relação ao crescimento econômico e às previsões de demanda, os participantes do mercado também apontaram o excessivo estoque de petróleo nos EUA.

“Mais uma vez, estamos vendo os efeitos de preocupações a respeito da questão comercial pesarem sobre a demanda”, disse Gene McGillian, vice-presidente da Tradition Energy. Segundo ele, fundos e gestores que acumulavam posições compradas estão “a caminho das saídas”, à medida os temores comerciais pressionam o panorama para a demanda.

Os contratos futuros do petróleo Brent, valor de referência internacional, fecharam em queda de 3,23 dólares, ou 4,6%, a 67,76 dólares por barril.

Já os futuros do petróleo nos EUA recuaram 3,51 dólares, ou 5,7%, para 57,91 dólares/barril. Mais cedo, o contrato chegou a bater 57,33 dólares, sua mínima desde 13 de março.

Esse foi o segundo dia consecutivo de baixas para os valores de referência. Na quarta-feira, o WTI já havia cedido 2,5% depois de dados do governo norte-americano terem mostrado um aumento nos estoques de petróleo dos EUA na última semana, para seus maiores níveis desde julho de 2017.

Ibovespa: Petrobras cai quase 2%

A sessão desta quinta-feira foi de queda para o Ibovespa, com o noticiário internacional ofuscando avanços no Congresso Nacional em meio ao confronto comercial entre Estados Unidos e China.

As ações da Petrobras tiveram queda com o dia de forte baixa do petróleo, mas amenizando as perdas de olho na venda de fatia da BR Distribuidora. No mercado de commodities, o brent fechou em queda de 4,65% atingindo a mínima desde março com o aumento dos estoques de petróleo dos EUA e as tensões comerciais atuais pesando sobre as perspectivas de demanda.

No radar corporativo desta quinta, o destaque foi a notícia de que o grupo SBF, dono da rede de lojas Centauro, que apresentou nesta quinta uma proposta concorrente de compra da varejista de artigos esportivos Netshoes que oferece prêmio de 40% (US$ 35 milhões) sobre o acordo fechado com o Magazine Luiza no mês passado.

As ações do Magalu chegaram a abrir com queda, mas amenizaram e fecharam praticamente estáveis, enquanto os ativos da Centauro saltaram no início da sessão, mas diminuíram os ganhos logo nos primeiros minutos do pregão.

Deixe seu comentário: