Últimas Notícias > Esporte > Pelo jogo de ida das quartas de final da Libertadores, o Inter perdeu por 2 a 0 para o Flamengo no Maracanã

Porto Alegre arrecada R$ 1 bilhão no Imposto Sobre Serviço, entre 2018 e 2019

(FOTO - Jackson Ciceri)

Sendo a sexta capital a superar a marca de R$ 1 bilhão na arrecadação acumulada do Imposto Sobre Serviço (ISS), no período de julho de 2018 a junho de 2019, Porto Alegre aumentou o arrecadado, segundo a prefeitura, por qualificar ainda mais a fiscalização sem que houvesse aumento na de alíquota no imposto.

“O valor obtido é resultado do trabalho que vem sendo desenvolvido pela Secretaria da Fazenda, e que reverterá em melhores serviços à população”, analisa o secretário municipal da Fazenda, Leonardo Busatto.

De acordo com o superintendente-adjunto da Receita Municipal, Christian Fouchard Justin, a eficiência na arrecadação e na fiscalização também promove justiça aos
empresários que cumprem com suas obrigações e são prejudicados pela concorrência desleal dos sonegadores. “Combater permanentemente a sonegação fiscal e arrecadar impostos para investimento em políticas públicas é o caminho para uma sociedade mais justa”, afirma o superintendente.

Sobre o ISS:

O Imposto Sobre Serviços representa mais de 47% da arrecadação própria de Porto Alegre, composta também pelo IPTU, Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana, o ITBI, Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis, e a Dívida Ativa. Diante da crise financeira e a queda nas transferências do Estado e da União, os resultados alcançados pelo fisco possibilitam que o município fortaleça sua autonomia.

Somente nos primeiros seis meses deste ano, a arrecadação do ISS já apresentou um crescimento de 3,72% acima da inflação. Os resultados também foram positivos nos anos anteriores. Em 2017 o crescimento real foi de 2,74%, e em 2018, de 4,63% acima da inflação.

Comparando as capitais com mais de quinhentos mil habitantes, Porto Alegre só está atrás de São Paulo e do Rio de Janeiro na arrecadação per capita.

Deixe seu comentário: