Últimas Notícias > Colunistas > Policiais x Bolsonaro

Prepare as suas economias: o fundador da empresa aeroespacial Space X, Elon Musk, estipula o preço para uma futura viagem a Marte

Uma viagem para o planeta vermelho pode vir a custar menos de US$ 500 mil. (Foto: Reprodução)

A Starship, nave interplanetária da SpaceX, nem saiu da Terra ainda. Mesmo assim, Elon Musk já especula o preço de uma futura passagem para Marte – não se assuste. Fundador e CEO da empresa, Musk escreveu em um tuíte, na segunda-feira (11), conforme reportado pela Cnet, que confia que uma viagem para o planeta vermelho custe, um dia, menos que US$ 500 mil.

Musk afirma que esse preço está “muito dependente do volume”, mas pensa que o valor pode eventualmente despencar a uma quantia inferior a US$ 100 mil. Segundo ele, seria barato o suficiente para que “a maioria das pessoas com economias avançadas pudesse vender suas casas na Terra e se mudar para Marte, se quiserem.”

Quando se escuta “metade de um milhão de dólares”, certamente isso soa como uma bala no ouvido. No entanto, comparativamente, o valor é bem razoável. Por exemplo, hoje são gastos US$ 200 mil para degustar um voo da Virgin Galactic com gravidade zero, e até mesmo US$ 9,5 milhões para tirar umas férias de luxo em uma estação espacial.

Um dos principais aperitivos do tuíte de Musk é que o bilhete de volta será gratuito. Ou seja, quem tiver o valor de ida e decidir se mudar para Marte, mas não se acostumar com o clima ou a gastronomia do local, não terá dificuldades em arranjar uma viagem de volta ao planeta natal.

Estágio em que está a Starship

A espaçonave de aço inoxidável da SpaceX está em fase de desenvolvimento. A empresa anunciou, no mês passado, um protótipo designado para testes curtos de decolagem e pouso. Além disso, o motor Raptor, que vai alimentar o foguete até o planeta vizinho, já passa por avaliações.

Antes de decolar rumo a Marte, a SpaceX planeja enviar o Starship ao redor da lua em 2023 – com turistas a bordo.

O próprio Musk calcula que tem 70% de chance de fazer as suas malas para Marte. Ele, aliás, flerta há um bom tempo com uma conta do planeta no Twitter. Não será surpresa, portanto, se ele decidir levar sua paixão cósmica (e platônica) para o próximo nível.

Colônia em Marte

A Mars One Ventures — companhia que prometeu levar centenas de pessoas para viver (e morrer) no planeta vermelho — está falida, de acordo com notícias do mercado financeiro na Suíça. O desfecho não é inesperado. Muitos especialistas suspeitaram de que se tratava de farsa, uma vez que a empresa usava o desejo da população de ir ao espaço sem nunca ter traçado um plano real para isso.

O fracasso veio à tona no final da semana passada, — graças ao Reddit, que deu o furo ao localizar um aviso da falência da companhia em um site da cidade de Basel, na Suíça, sede da Mars One. A fonte indicou que o fato foi declarado pelas autoridades locais no dia 15 de janeiro deste ano. Bas Lansdorp, fundador da empresa, confirmou a notícia ao Engadget e alegou estar “buscando uma solução”. Ele disse também que um dos braços da Mars One, a Mars One Foundation, que fica na Holanda, está vivo, mas não tem dinheiro suficiente para os investimentos necessários.

A Mars One passou por maus bocados graças aos seus duvidosos planos de mandar pessoas para Marte, onde supostamente viveriam o resto de suas vidas. A companhia prometia aos aspirantes a astronautas que os enviaria para Planeta Vermelho para iniciar seu primeiro assentamento humano, mas que não os traria de volta à Terra, já que não tinham tecnologia que fizesse essa viagem de volta. Depois de receber inúmeras inscrições de todos os cantos do mundo, eles selecionaram 100 candidatos que poderiam ser os primeiros a embarcar na aventura. Entre estas 100 pessoas estava Sandra Maria Feliciano Silva, uma brasileira que, na época da seleção, tinha 51 anos.

Deixe seu comentário: