Últimas Notícias > Notícias > Brasil > “Ideia de Macron de internacionalizar Amazônia é absurda”, afirma Dilma

ProUni: não matriculados podem pedir bolsas remanescentes até hoje

A prorrogação se deu por conta da instabilidade do portal. (Foto: EBC)

Os alunos não matriculados em universidades através do Programa Universidade para Todos (ProUni) tem até esta segunda-feira (19) para pedir bolsas remanescentes. Já os candidatos matriculados, tem até o dia 30 de setembro para se inscrever. A solicitação deve ser feita pelo site do ProUni.

O prazo terminaria na última sexta-feira (16), mas foi prorrogado devido à instabilidade do portal. O Ministério da Educação (MEC) chegou a acionar a Polícia Federal, após identificar indícios de sabotagem no sistema.

Vagas Remanescentes
Estas vagas são mais uma chance para quem não foi contemplado na primeira e segunda chamadas, além da lista de espera. As oportunidades são voltadas para o segundo semestre do ano, e decorrem da desistência dos candidatos pré-selecionados ou da falta de documentação. Pode se inscrever às bolsas remanescentes do Prouni 2º/2019 o candidato que atenda a uma das condições a seguir:

– seja professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrando o quadro de pessoal permanente da instituição pública, e concorra a bolsas em cursos com grau de licenciatura destinados à formação do magistério da educação básica;

– tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio – Enem, a partir da edição de 2010, e obtido, em uma mesma edição do referido exame, média das notas nas provas igual ou superior a 450 pontos e nota superior a zero na redação.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve ter renda familiar bruta mensal, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais de 50%, a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa. Além disso, o candidato deve satisfazer a pelo menos um dos requisitos abaixo:

– ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em escola da rede particular na condição de bolsista integral da própria escola;

– ser pessoa com deficiência;

– ser professor da rede pública de ensino, no efetivo exercício do magistério da educação básica e integrando o quadro de pessoal permanente da instituição pública e concorrer a bolsas exclusivamente nos cursos de licenciatura. Nesse caso, não é necessário comprovar renda.

Deixe seu comentário: