Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Faixa de Gaza é alvo de ataque do exército de Israel

Próximo governador vai encontrar um déficit de R$ 6,8 bi em 2019

Déficit é desafio para o próximo ocupante do Palácio Piratini. (Foto: Divulgação)

O próximo governador, que assumirá em janeiro a gestão do Rio Grande do Sul, vai enfrentar um déficit previsto para 2019 nas contas, de R$ 6,8 bilhões. Este é o valor estimado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias votado e provado ontem pela Assembleia Legislativa.

Aumento do ICS: quem concorda?

Outro ponto que precisará ser enfrentando pelos pretendentes ao governo: as atuais alíquotas majoradas do ICMS que alavancaram em R$ 2 bilhões a arrecadação anual. Esta majoração precisará ser votada e aprovada novamente pela Assembleia, sob pena do próximo governador não dispor de R$ 2 bilhões. Quem ousará enfrentar o tema na hora de pedir votos?

O Regime de Recuperação Fiscal: quem é contra?

Não aderir ao Regime de Recuperação Fiscal, um formidável plano que nunca antes foi ofertado aos governadores, representará apenas em 2019, a manutenção de R$ 4 bilhões nos cofres do Estado. É dinheiro eu deixará de ser remetido aos cofres da União.

Estatais: continuaremos pagando a conta

Outro tema que vem sendo adiado pela oposição, e até por aliados do governo, vai explodir no próximo anos: a gestão de estatais deficitárias,e ineficientes. A Assembleia não permitiu que os gaúchos decidissem em plebiscito no mês de outubro, se desejam continuar pagando essa conta.

O debate sério: quem fará?

Este e outros temas tornam-se obrigatórios no debate pré-eleitoral, e precisam de medidas objetivas para enfrentá-los. Sem subestimar a inteligência dos eleitores. Aí se incluem delírios como um súbito acréscimo de R$ 40 bilhões oriundos de repasses imediatos pela União, de parcelas em atraso da Lei Kandir o que equivale a imaginar que Papai Noel descerá em Porto Alegre e acampará no Tesouro do Estado. Não há mágica, e o debate pré-eleitoral será revelador.

Recesso dos deputados

Como ninguém é de ferro, a Assembleia Legislativa entrou em recesso. Os deputados retornam à atividade normal apenas em agosto.

Violência: boas notícias dentro do contexto

Coube ao Secretário da Segurança Cezar Schirmer ser o portador das boas novas ontem. Schirmer apresentou mais um resultado dos esforços dos órgãos da segurança: Polícia Civil, Brigada Militar, Superintendência dos Serviços Penitenciários e Instituto de Perícias: Homicídios, 25,7% menos (1.470 em 2017 contra 1.092 neste ano) . Latrocínios, 35,6% (73 contra 47) entre janeiro e junho deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Deixe seu comentário: