Últimas Notícias > Notícias > Brasil > “Reforma administrativa vai demorar um pouquinho mais ainda”, afirma Bolsonaro

Quase metade das armas usadas em massacres vêm da família

A partir de agora, menores de idade precisarão apenas de autorização de um dos responsáveis legais para a prática. (Foto: Pixabay)

O Instituto Sou da Paz divulgou um estudo onde foi levantado que, quatro em cada 10 armas usadas em massacres vieram de dentro da casa do agressor e possuíam origem legal. Desde 2002, ocorreram oito casos de ataques em escolas em diferentes estados do país que deixaram 28 mortos e 41 feridos. Em 44,4% dos ataques, os atiradores utilizaram armas legais que estavam armazenadas em suas casas antes de serem desviadas para a ação criminosa. “Embora não tenhamos esse tipo de ataque de forma sistemática, eles são muito significativos”, diz Natália Pollachi, coordenadora de projetos do Instituto Sou da Paz.

Os números reforçam outros levantamentos que apontam o mercado formal como principal origem das armas que caem na ilegalidade. “Os dados contrariam o senso comum que diz que a arma do cidadão comum não comete crime”, afirma a coordenadora. Os armamentos representam riscos quando são utilizados pelos proprietários de forma errada ou quando caem em poder de uma terceira pessoa. “Mesmo dentro de casa, a arma representa um risco porque ela fica acessível para toda a família.”