Home > Notícias > Brasil > Gilmar Mendes manda soltar outros 4 presos na Operação Ponto Final

Quase a metade das empresas de setor de seguros já mantêm parcerias com insurtechs

Novos produtos e serviços são estratégia para seguradoras crescerem. (Foto: Divulgação)

Pesquisa realizada pela PwC com executivos de empresas globais do setor de seguros de cerca de 40 países mostra as inovações e a disrupção provocadas pelas insurtechs – provedoras de soluções tecnológicas inovadoras para esse mercado. De acordo com os dados do Global Insurtech Report 2017, 45% das empresas ouvidas mantêm, atualmente, parcerias com insurtechs. No ano passado, quando foi realizada a primeira edição do levantamento, eram apenas 28%. Executivos de companhias de seguros estão atentos às oportunidades oferecidas pelas insurtechs: para 52% dos entrevistados, a disrupção representa, hoje, o principal foco da estratégia de crescimento. A pesquisa também revela que 94% das seguradoras priorizam análises de risco mais precisas e 68% estão dispostas a adotar a tecnologia de blockchain até 2018.

As seguradoras também estão mais voltadas a questões relacionadas ao engajamento do consumidor. Atualmente, até 25% dos clientes interagem com as empresas de seguros por meio de smartphones e sites. Nos próximos anos, os participantes da pesquisa estimam que até 90% do público utilizará esses canais para se comunicar com os agentes de seguros. “As insurtechs investem na criação de produtos intuitivos e fáceis de usar, indo ao encontro de uma tendência de mercado”, diz Luis Ruivo, sócio da PwC.

A utilização de novas tecnologias também faz parte do conjunto de estratégias de inovação das empresas de seguros. Nos próximos 12 meses, a prioridade deve ser direcionada para análise de dados (84%), inovações para smartphones (58%), robótica (34%), inteligência artificial (33%), segurança da informação (33%) e internet das coisas (22%). A tecnologia de blockchain, que registra transações digitais, também terá destaque. Enquanto no ano passado 17% dos participantes da pesquisa reconheciam o blockchain como uma importante inovação, hoje cerca da metade das empresas ouvidas estão explorando esse recurso – até 2018, 68% dos respondentes devem adotar a tecnologia. “Ao investir em inovação, as seguradoras têm a oportunidade de expandir seus produtos e serviços e aumentar a base de clientes, além de aprimorar sua capacidade analítica”, diz Ruivo.

Entre os desafios enfrentados pelas empresas do setor para conseguir inovar, se destacam a dificuldade em encontrar talentos (87%), questões relativas à proteção e armazenamento de (63%), segurança da informação (53%), regulações relativas à autenticação (45%) e novos modelos regulatórios (43%). A maioria das companhias do setor acredita possuir a capacidade de gerar novas ideias, mas apenas 17% afirmam que poderão criar produtos em conjunto com empresas inovadoras. “As seguradoras estão analisando como poderão capitalizar os ganhos proporcionados pelas insurtechs, seja através de parcerias, aquisições ou processos internos baseados em incubadoras e aceleradoras”, diz Ruivo.

Comentários