Últimas Notícias > CAD1 > Meia do Grêmio, Jean Pyerre, diz que time entende cobranças e crê em foco para buscar a recuperação no Brasileirão

Recuou

O ministro Luís Roberto Barroso declarou que “alguns colegas atuam como obstáculo no combate à corrupção”. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O governo do Estado pagou 956 mil reais a uma consultoria de São Paulo para elaborar o estudo de viabilidade da nova concessão da Estação Rodoviária de Porto Alegre. O resultado seria apresentado ontem pela manhã, na audiência pública da Assembleia Legislativa sobre o tema. Às 22h de quarta-feira, o deputado Sebastião Melo, proponente da audiência, recebeu telefonema informando que a exposição estava suspensa.

Interesse

A sala da audiência pública sobre a Estação Rodoviária lotou e mais de 80 pessoas ficaram do lado de fora. Pequenos empresários que alugam lojas manifestaram preocupações com o perfil elitista que o governo pretende dar na licitação do espaço inaugurado em junho de 1970. Houve também intenso debate sobre o trânsito no entorno, problema de competência da Prefeitura.

Apressados

A irritação era visível ontem, na Assembleia, porque os secretários da Fazenda, Marco Aurelio Cardoso, e do Planejamento, Leany Lemos, foram à reunião-almoço da Federasul anunciar projetos, envolvendo o funcionalismo. Deputados reclamaram que deveriam ter ido primeiro ao Palácio Farroupilha para expor. Essa precipitação será um problema a mais nas votações.

Com atraso

Demorou três meses e meio para que o atual governo do Estado anunciasse como fato novo a existência de mais funcionários ativos do que inativos. Em janeiro de 1989, o Relatório Sayad, encomendado pela Fiergs, previu o que aconteceria 30 anos depois. Acertou em cheio.

Explosivo

O ministro Luís Roberto Barroso escolheu Nova Iorque para acender o pavio da dinamite: “O Supremo Tribunal Federal está sob ataque e vive um momento de descrédito porque alguns colegas atuam como obstáculo no combate à corrupção.”

Imagine-se o clima na próxima sessão de julgamento.

Consumidores no prejuízo

A CEEE ficará milionária se cobrar participação nos lucros que as fábricas de eletrodomésticos têm a cada interrupção. Nos dias seguintes, aumenta a procura por refrigeradores, equipamentos de computadores, lavadoras e roupa e aparelhos de TV, que ficam irrecuperáveis.

Complica o jogo

Dos quatro integrantes da bancada do PP na Câmara Municipal de Porto Alegre, três votarão contra o aumento do IPTU: Ricardo Gomes, Cassiá Carpes e Mônica Leal. Só para lembrar: o vice-prefeito Gustavo Paim é do PP. Vereadores de outros partidos ficam constrangidos em apoiar o projeto do Executivo.

Retomada necessária

A construção naval brasileira chegou a ter 80 mil trabalhadores diretos no auge da produção. Em Rio Grande, eram 25 mil. Hoje, não passam de 800. Esta semana, reunindo 207 deputados federais e 15 senadores, foi lançada a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Indústria Marítima. Mais uma remada para tentar sair do encalhe.

Reis do calote

Demorou mais houve a liberação da informação completa: os governos estaduais, incluindo o Rio Grande do Sul, deixaram de pagar 100 bilhões de reais no ano passado. Produtos foram comprados e serviços prestados sem que os fornecedores tenham visto a cor do dinheiro. Depois, dizem não há explicação para a quebradeira de empresas.

Descaso diante das perdas

Três meses depois da tragédia do rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho, a Câmara dos Deputados instalou uma CPI para apurar as causas, que são bem conhecidas. Falta mandar os criminosos para a prisão. Nada mais.

Só observa

O presidente do BNDES, Joaquim Levy, usa a tática do passarinho quando muda de penas: não pia. Fica quieto, observando. Quando foi ministro da Fazenda, de janeiro a dezembro de 2015, Levy era manchete um dia e no outro também.

Mais lenha na fogueira

O caldeirão vai ferver mais uma vez: o vice-presidente Hamilton Mourão concedeu entrevista ao jornal francês Le Monde, de tendência esquerdista. Com a publicação, o caldo vai entornar.

Deixe seu comentário: