Últimas Notícias > Notícias > Economia > Ex-presidente da Braskem é preso sob acusação de corrupção nos Estados Unidos

Relatório da PF aponta PM como responsável por dificultar investigações acerca da morte de Marielle e Anderson

A morte de Marielle completou um ano em março de 2019. (Foto: Reprodução/Facebook)

Divulgado relatório da Polícia Federal (PF), sobre a investigação da morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes aponta um policial militar como suspeito de atrapalhar os trabalhos da polícia.

Segundo a Polícia Federal, o policial militar Rodrigo Jorge Ferreira, conhecido como Ferreirinha, criou uma história com a finalidade de confundir as autoridades e além disso teria se aproveitado do fato para uma vingança.

O PM é ex-aliado de Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, a quem Ferreirinha acusou de tramar o atentado junto do vereador Marcello Siciliano, que negam envolvimento.

No momento estão respondendo pelo atentado, que ocorreu há 14 meses, o policial militar reformado Ronnie Lessa e o ex-PM Élcio de Queiroz.  O inquérito, no entanto, não aponta os mandantes.

Ferreirinha

Rodrigo Jorge Ferreira, que no inicio da investigação era testemunha do caso agora se torna acusado. A  procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que a PF apurasse a conduta de agentes das polícias Civil e Federal no caso após indícios de irregularidades. O próximo passo cabe, ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) que decide apresentar denúncia ou não contra Ferreirinha. Ele pode ser preso por falso testemunho, segundo aponta a investigação da PF.

O policial militar Rodrigo Jorge Ferreira, o Ferreirinha ( Foto: Reprodução)