Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Pastor se diz ex-gay, curado graças a Deus e a terapia de reversão

Renuncia a vereadora da Flórida que teria o hábito de lamber os rostos de homens

Nancy Oakley, vereadora de Madeira Beach, na Flórida, em sessão da Câmara Municipal em janeiro deste ano. (Foto: Reprodução)

Uma vereadora da Flórida que teria o hábito de lamber os rostos de homens renunciou. Tudo começou com a ideia de oferecer uma alternativa divertida e relaxada às reuniões governamentais típicas, de um jeito que se enquadrava bem a uma descontraída cidade de praia. A Câmara Municipal de Madeira Beach, comunidade costeira de cerca de 4.500 moradores em uma ilha do golfo do México próxima da costa da Flórida, decidiu realizar um encontro especial ao ar livre, durante o torneio de pesca King of the Beach, em novembro de 2012. O principal assunto em pauta: homenagear uma cidade irmã nas Bahamas.

Mas as coisas não demoraram a escapar ao controle, durante a reunião, de acordo com um relatório da Comissão de Ética da Flórida. De acordo com o que ela mesmo admitiu, Nancy Oakley, membro da Comissão Municipal de Madeira Beach, havia bebido um pouco durante o torneio de pesca.

Foi quando ela viu o então administrador da cidade, Shane Crawford, e sua assistente-executiva, Cheryl McGrady. Os dois viriam a se casar, mais tarde, mas naquele momento estavam envolvidos em relacionamentos com outras pessoas. Oakley suspeitava de que tivessem um caso.

Usando palavrões, ela exigiu que McGrady, que supostamente estava participando da reunião como escrivã municipal assistente, e encarregada da ata, fosse removida. Mais tarde, depois do final da reunião, que transcorreu discretamente com exceção do incidente com McGrady, Oakley voltou a se aproximar de Crawford. Ela teria lambido o pescoço e o rosto dele, começando do pomo de Adão; também o agarrou pela virilha e pelas nádegas.

McGrady, que testemunhou o incidente todo, disse a Oakley que ela estava se comportando de modo inapropriado. De acordo com o relatório, Oakley tentou socá-la, mas errou. Não foi um incidente isolado, disse Crawford ao telejornal Bay News 9, no mês passado. Oakley “tinha o hábito de lamber homens pelos quais sentia atração, ou sobre os quais acreditava ter autoridade”, ele disse.

Crawford em 2017 apresentou uma queixa escrita à Comissão de Ética, afirmando que Oakley também havia feito propostas indesejadas a outros funcionários da cidade, e que eles “não estavam interessados em voltar a suportar tratamento daquele tipo”.

Oakley renunciou ao seu posto na Câmara Municipal de Madeira Beach no último dia 5, uma semana depois que o painel estadual de ética anunciou que a queixa de Crawford havia sido acatada por decisão unânime.

Ela negou repetidamente que tivesse tocado o colega de maneira indevida e insistiu em que jamais havia lambido o rosto dele, ou o de qualquer outra pessoa. A Comissão de Ética optou por aceitar o depoimento jurado de diversas testemunhas que declararam o oposto, e afirmou que três outros homens haviam testemunhado que Oakley lambeu seus rostos em público e sem o seu consentimento.

“O ato de lamber o rosto e pescoço de uma pessoa é incomum demais para que múltiplas testemunhas e múltiplas vítimas inventassem tê-lo visto”, escreveu o juiz administrativo Robert Cohen em seu relatório final. Ele recomendou que Oakley fosse multada em US$ 5.000 (R$ 18,8 mil) e que o governador a censurasse publicamente por comportamento inapropriado.

Deixe seu comentário: