Últimas Notícias > Notícias > O governador gaúcho conheceu de perto o funcionamento do porto de Montevidéu, no Uruguai

RS passa a exigir sistema de gravação veicular em Centros de Formação de Condutores

Exigência partiu do Denatran. (Foto: Mariana Tochetto/Detran-RS)

Desde setembro, os CFCs (Centros de Formação de Condutores) do Estado estão tendo que, gradativamente, implantar novos equipamentos tecnológicos em seus automóveis. A exigência partiu do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito). A portaria 238/2014 regulamenta o sistema eletrônico de anotação, transmissão e recepção dos relatórios de avaliação elaborados pelos instrutores relativos às aulas de prática de direção.

O objetivo da nova exigência é gerar transparência e uma padronização que auxilie a evitar falsificações, falhas e fraudes e impeça a subjetividade dos dados relativos às aulas dos CFCs. Tudo isso através da validação biométrica e registro audiovisual do instrutor e aluno.

Uma das empresas pioneiras nesse mercado é a Kenta, que desenvolveu o DRS Veicular (Digital Recording System, na sigla em inglês) e investiu na UX (User Experience, que trata da experiência do usuário) para garantir efetividade do sistema, que consiste em filmagem, monitoramento e gestão de aulas e exames de direção.

A empresa possui know-how na área. Hoje, fornece ao mercado outros módulos do DRS – uma tecnologia inovadora em manipulação de arquivos de áudio e vídeo – que são aplicados em audiências, plenários e inquéritos de forma sigilosa.

Neste caso, a solução é composta pelo software DRS Veicular, câmeras, leitor biométrico, GPS e um tablet, que armazena os dados coletados – desde conversas até o tempo, trajeto, notas e observações do instrutor.

No desenvolvimento do projeto, a Kenta buscou a Hypervisual, primeira empresa de design brasileira especializada em TI com foco em UX. “Em um trajeto no qual deve passar diversas informações ao aluno e estar atento ao trânsito ao redor, o instrutor em posse desse sistema precisa que as informações sejam de fácil acesso e seu manuseio, prático”, diz Tiago Guerreiro, coordenador comercial da Kenta.

A Hypervisual foi a responsável por considerar a experiência do usuário para desenvolver uma plataforma que ofereça acesso e navegação objetivos e agradáveis. O resultado foi uma interface amigável e intuitiva, pela qual o instrutor visualiza ícones que simbolizam infrações. Ele usa o sistema ainda para registrar o conteúdo programático ministrado na aula, comportamento e infrações cometidas pelo aluno.

Além disso, foi a Hypervisual que elaborou toda a identidade visual do sistema, desde a interface, logomarca, embalagens, documentação e material de comunicação.

Através do módulo web do produto, com interface também desenvolvida pela Hypervisual, todas as aulas estarão disponíveis para consultas e auditorias. Os vídeos ficam armazenados por tempo determinado pela portaria de cada Estado. O CFC, o aluno e Detran podem ter acesso ao conteúdo audiovisual.

O sistema está em fase de implantação no Rio Grande do Sul e em Mato Grosso do Sul. Ao todo, são aproximadamente mil veículos.

Deixe seu comentário: