Últimas Notícias > Colunistas > Em Santa Maria, Bolsonaro reafirmou apoio à flexibilização da posse de armas

Saiba como foram os atos pró-Bolsonaro no domingo pelo País

(Foto: Rovena Rosa: Agência Brasil)

Ao menos 156 cidades em 26 Estados e no Distrito Federal tiveram protestos entre a manhã e a tarde deste domingo (26) em defesa do presidente Jair Bolsonaro e de medidas do governo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro. No dia das manifestações em defesa da educação, 222 cidades de todos os 26 Estados e do Distrito Federal tinham registrado atos.

As convocações ganharam força após os protestos em defesa da educação do último dia 15, contra os cortes anunciados pelo governo para os ensinos superior e técnico federais.

Grupos de manifestantes saíram em passeatas e carreatas a partir desta manhã levando bandeiras do Brasil e faixas com frases de apoio a propostas apresentadas pelo governo de Bolsonaro. Até a última atualização desta reportagem, os atos eram pacíficos.

Os protestos também apoiavam a reforma ministerial do governo Bolsonaro, com redução de 29 para 22 no número de ministérios. Houve, ainda, grupo de manifestantes no Rio de Janeiro que pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e contra a democracia.

Ao participar de culto no Rio de Janeiro ainda durante a manhã deste domingo, o presidente Jair Bolsonaro disse que as manifestações pró-governo são um “recado” aos que “teimam com velhas práticas” e, segundo afirmou, não permitem que o “povo se liberte”. O presidente disse que a manifestação era “espontânea”, tinha pauta definida e respeitou leis e instituições.

Porto Alegre

Em Porto Alegre, manifestação apoiou medidas como a reforma da Previdência, o “pacote anticrime” e o decreto das armas. A organização estimou cerca de 30 mil pessoas. A Brigada Militar informou que não faria estimativas.

Em Caxias do Sul, na Serra, organizadores estimaram 2,5 mil pessoas. A Brigada Militar falou em mil. O Estado também teve atos em ErechimSanta Maria, Rio Grande, Passo Fundo, Cruz Alta, PelotasUruguaiana, Santa Rosa e Bagé.

Rio de Janeiro

No Rio, o ato se concentrou na Avenida Atlântica, na orla de Copacabana. Manifestantes usavam, principalmente, roupas com cores verde e amarelo e carregavam bandeiras do Brasil. Vários carros de som se concentraram em dois pontos: na altura do Posto 5 e em frente à Rua Xavier da Silveira.

Parte dos manifestantes pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e viola a democracia.

No Sul do Estado do Rio de Janeiro, ao menos três cidades também tiveram protestos: Resende, Volta Redonda, Três Rios e Barra Mansa.

São Paulo

Na Avenida Paulista, região central de São Paulo, os manifestantes começaram a se reunir no início desta tarde nas proximidades do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Ao menos cinco carros de som foram levados para o ato.

No interior do Estado, manifestantes de Campinas encheram o Largo do Rosário, na região central. A organização estimou 5 mil participantes, enquanto a PM calculou 3 mil.

Distrito Federal

Em Brasília, por volta das 9h, parte do grupo se concentrava no Museu da República, na região central da capital. Outra parte foi para o gramado do Congresso Nacional. Segundo a Polícia Militar do DF, às 10h30min cerca de 2 mil pessoas estavam na Esplanada. Às 11h20min, a corporação já falava em 10 mil manifestantes.

Minas Gerais

Em Belo Horizonte, a concentração do protesto começou por volta das 10h, na Praça da Liberdade, na região Centro-Sul da capital. Os manifestantes se vestiram, em grande parte, de verde e amarelo. Organizadores estimam que 35 mil pessoas tenham participado do ato, mas a PM não divulga números.

Pará

Em Belém, manifestantes caminhavam pela Avenida Presidente Vargas. A coordenação do evento afirmou que, ao final do ato, às 12h, cerca de 50 mil pessoas participaram. A Polícia Militar estima que às 10h55min o ato tenha reunido cerca de 3 mil pessoas.

Deixe seu comentário: