Últimas Notícias > Capa – Coluna Direita > Congresso de Radiodifusão reúne especialistas no assunto durante três dias de evento, em Curitiba

Sarampo: vacinação preventiva começa em todo o país



Vacinação preventiva começa nesta quinta (22), em todo o país. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Crianças de todo o país podem começar a ser vacinadas a partir desta quinta-feira (22), segundo o Ministério da Saúde. A recomendação foi divulgada em decorrência do aumento de casos da doença em 11 estados do país, principalmente em São Paulo. O ministério deve enviar 1,6 milhão de doses a mais para os estados, afim de intensificar a vacinação desse público-alvo, que é mais suscetível a casos graves e óbitos.

Nos últimos noventa dias, o país registrou 1.680 casos confirmados de sarampo. Além de vacinar as crianças na faixa etária prioritária, o ministério, por meio da Secretaria de Vigilância em Saúde, também orienta estados e municípios a realizarem o bloqueio vacinal. Ou seja, em situação de surto ativo do sarampo, quando identificado um caso da doença em alguma localidade, é preciso vacinar todas as pessoas que tiveram ou têm contato com o suspeito em até 72 horas.

A Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul orienta que todas as crianças de 6 a 11 meses devem ser vacinadas contra o sarampo. São cerca de 70 mil crianças dentro da faixa etária. Apesar do estado não registrar casos confirmados da doença, a Secretaria recomenda que a vacinação de rotina deve ser mantida independentemente da criança ter tomado a “doze zero”. A medida deve permanecer enquanto o país não interromper a transmissão do vírus. Para isso, é necessário permanecer 90 dias sem novos casos.

 A chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Tani Ranieri, ressalta que entre essa dose extra e a primeira (aos 12 meses) é recomendado um intervalo de 30 dias. “O profissional de saúde na Unidade Básica fará essa análise de como e quando fazer a aplicação das doses, pois aos 12 meses a criança ainda precisa dois reforços, com a pneumocócica e meningocócica, além de que aos 9 meses também é prevista a vacina contra a febre amarela”, informa.

 

Deixe seu comentário: