Domingo, 08 de Dezembro de 2019

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Fair

Rio Grande do Sul Secretaria da Agricultura decide pela suspensão do uso do herbicida 2,4-D até 31 de dezembro

O 2,4-D é um herbicida utilizado na lavoura da soja.

Foto: Fernando Dias/Seapdr
O 2,4-D é um herbicida utilizado na lavoura da soja. (Foto: Fernando Dias/Seapdr)

Em reunião do grupo de trabalho criado pelo Estado para tratar das questões e promover ações relativas à utilização do agrotóxico 2,4-D, foi decidido na manhã desta terça-feira (3) pela suspensão de uso do produto, em caráter excepcional, até 31 de dezembro. A Sepadr (Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural) irá editar nova IN (instrução normativa), que deve entrar em vigor na quarta-feira (4), após publicação no Diário Oficial do Estado.

A decisão também atende a recomendação do MP (Ministério Público) e foi tomada após a divulgação dos resultados de novas análises químicas de amostras coletadas em propriedades com suspeita de deriva do 2,4-D.

No encontro na sede da Seapdr, a Disa (Divisão de Insumos e Serviços Agropecuários) apresentou os resultados dos novos laudos emitidos pelo Larp (Laboratório de Análises de Resíduos de Pesticidas).

No total, incluindo os dados divulgados na semana passada, foram analisadas 143 amostras, com resultado positivo para 2,4-D em 132 delas (92,3%). Todas as amostras foram coletadas após denúncias feitas por produtores rurais em canais criados pela Seadr para atender exclusivamente casos de suspeita de ocorrência de derivas do 2,4-D e outros agrotóxicos hormonais em culturas sensíveis como macieira, videira, oliveira, nogueira-pecã, erva-mate, tomate e hortaliças.

Os laudos positivos abrangem 16 dos 24 municípios contemplados por INs publicadas este ano, que estabeleceram normas como cadastro de aplicadores de agrotóxicos hormonais e venda orientada do produto.

Os municípios com maior número de laudos positivos para 2,4-D foram Jaguari (27), Dom Pedrito (7), Santiago (6), Santana do Livramento (5), São Sepé (4), São Borja (4) e Bagé (4). No total, 103 propriedades foram afetadas pela deriva de 2,4-D.

Participaram da reunião do GT o secretário da Agricultura, Covatti Filho; o adjunto, Luiz Fernando Rodriguez Junior; os promotores Alexandre Saltz e Felipe Teixeira Neto; representantes da Fetag/RS, Emater, Fecoagro/RS, Andav, Corteva, Ibraoliva e técnicos e diretores da Seapdr.

Municípios com laudo positivo para 2,4-D

Bagé, Bom Jesus, Cacequi, Cachoeira do Sul, Candiota, Caseiros, Dilermando de Aguiar, Dom Pedrito, Entre Ijuís, Hulha Negra, Itaqui, Ibiaçá, Jaguari, Jari, Lavras do Sul, Maçambará, Mata, Minas do Leão, Nova Esperança do Sul, Paulo Bento, Pirapó, Pinhal da Serra, Pinheiro Machado, Piratini, Protásio Alves, Rodeio Bonito, Ronda Alta, Santa Maria, Santana do Livramento, Santiago, Santo Ângelo, Santo Antônio das Missões, São Borja, São João do Polêsine, São Sepé, Sarandi, Silveira Martins, Sobradinho, Toropi, Vacaria e Viadutos.

Municípios com laudo positivo para 2,4-D compreendidos pelas INs

Bagé, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra, Jaguari, Jari, Lavras do Sul, Maçambará, Mata, Santana do Livramento, Santiago, São Borja, São João do Polêsine, Silveira Martins, Sobradinho e Vacaria.

Todas de Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

Ministério Público de São Paulo vai investigar mortes em baile funk
Renan Calheiros vira réu em processo no Supremo
Deixe seu comentário
Pode te interessar