Últimas Notícias > Notícias > Mundo > O Uruguai tem falta de maconha: a produção não é suficiente para abastecer os mais de 47 mil consumidores registrados

Secretaria pede revogação de resolução do Conselho de Enfermagem

Secretário Fernando Ritter em reunião com direção do Coren/RS. (foto: Cristine Rochol/PMPA)

O secretário municipal de Saúde de Porto Alegre, Fernando Ritter, reuniu-se nesta quarta-feira (2) com a direção do Coren (Conselho Regional de Enfermagem), na sede da entidade. O encontro foi solicitado pela SMS para discutir alternativas imediatas para que a população não sofra com a imposição de resolução do conselho, que proibiu enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem a fazer entrega de medicamentos nas unidades de saúde.

A decisão do órgão fez com que, desde segunda-feira (29) milhares de usuários do Sistema Único de Saúde ficassem sem os medicamentos gratuitos que normalmente retiram nas unidades de saúde da Capital. O secretário argumentou que a medida foi radical e não levou em consideração as necessidades da população, dizendo ainda que o Coren não fez nenhum tipo de discussão com a sociedade antes de aplicar a decisão, nem atendeu aos pedidos anteriores da SMS para discutir alternativas.

Ritter reiterou que a secretaria vem trabalhando para implementar um novo sistema de assistência farmacêutica em Porto Alegre. A pasta nomeou nas últimas semanas mais 22 profissionais para reforçar a rede. “No entanto, é impossível contratar profissionais da noite para o dia para as 141 unidades de saúde”, frisou o secretário.

Ritter disse ainda que a medida do Coren foi, acima de tudo, corporativista, sem levar em consideração o contexto da administração pública e as necessidades urgentes da população que depende do SUS. Também tem a mesma opinião a vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde, Dejanira Correa, que participou da reunião e criticou duramente a posição do Coren.

O presidente da entidade, Daniel Menezes de Souza, afirmou que não iria acatar nenhum pedido de suspensão da medida enquanto não consultasse a categoria. Caso o Coren não reveja sua posição, a Secretaria da Saúde ingressará com ações judiciais, considerando que a decisão da entidade vai contra o interesse público.

De acordo com a medida do Coren, quem precisar de medicamentos deve procurar as dez farmácias distritais de Porto Alegre. Confira os telefones das dez farmácias distritais da Capital:

Sarandi: (51) 3368-6662

Camaquã: (51) 3289-5611

Restinga: (51) 3289-5503

Comerciários: (51) 3289-4123

Bom Jesus: 3289-5446

IAPI: (51) 3289-3427

Navegantes: (51) 3289-5518

Murialdo: (51) 3354-5096.

Santa Marta: (51) 3224-1527

Farroupilha: (51) 3289-2560

Deixe seu comentário: